Erdogan quer medidas da Suécia em troca de apoio na NATO

A Turquia acusa a Suécia e a Finlândia, que também apresentou sua candidatura à NATO, de abrigar militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), organização considerada "terrorista" por Ancara.

DN/AFP
© Adem ALTAN / AFP

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse que a Suécia não tomou nenhuma medida "concreta" exigida por Ancara para aprovar a adesão à NATO, numa conversa por telefone com a primeira-ministra sueca, Magdalena Andersson.

"A Suécia deve tomar medidas em questões fundamentais como a luta contra o terrorismo" e a Turquia "quer ver compromissos vinculativos sobre essas questões, juntamente com atos concretos e claros", disse Erdogan nessa conversa, de acordo com Ancara.

A Turquia acusa a Suécia e a Finlândia, que também apresentou sua candidatura à NATO, de abrigar militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), organização considerada "terrorista" por Ancara.

A NATO vai discutir as duas candidaturas numa cimeira que se realiza em Madrid na próxima semana. A Turquia já havia indicado na última segunda-feira que não considera esta cimeira um "prazo" para tomar uma decisão sobre o assunto.

Suécia e Finlândia, países tradicionalmente não alinhados do ponto de vista militar, decidiram apresentar sua candidatura à NATO após a invasão russa da Ucrânia há quatro meses.