Levantado alerta de tsunami emitido após sismo de 8,2 ao largo do Alasca

O sismo ocorreu a cerca de 100 quilómetros a sudeste da localidade de Perryville, com cerca de 100 habitantes

As autoridades norte-americanas levantaram esta quinta-feira o alerta de tsunami que tinham emitido horas antes, após um forte sismo de magnitude 8,2 nas ilhas Aleutianas do Alasca.

O Instituto de Geofísica dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) anunciou que sismo ocorreu cerca das 22:15 de terça-feira (hora local, 06:15 desta quinta-feira em Lisboa) nas águas ao largo de Sandpoint, nas Aleutas orientais, a uma profundidade de 32 quilómetros.

O sismo ocorreu a cerca de 100 quilómetros a sudeste da localidade de Perryville, com cerca de 100 habitantes, acrescentou o USGS.

Embora os terramotos a essa profundidade sejam sentidos com menos intensidade do que os mais próximos da superfície, o sistema de aviso de tsunami do Serviço Nacional de Meteorologia tinha emitido um aviso de alerta para as ilhas havaianas, a cerca de 4.000 quilómetros de distância.

"Com base em todos os dados disponíveis, não há ameaça de tsunami para o estado do Havai [...], o aviso para o Havai é cancelado", anunciou o Centro de Alerta sobre Tsunamis do Pacífico num 'tweet' citado pela EFE.

Mesmo assim, o centro admitiu que o Havai poderá sofrer ondas de tsunami de menos de 30 centímetros que não se espera que causem danos.

O sismo, de magnitude de 8,2, foi acompanhado por cerca de 20 tremores menores de diferentes profundidades na mesma região.

A réplica mais forte atingiu uma magnitude de 6,2, com hipocentro a 42 quilómetros da superfície.

De acordo com dados sísmicos preliminares, o mais forte destes sismos poderia ter sido amplamente sentido por quase todos na área do epicentro e poderia ter causado danos ligeiros a moderados, mas esta é uma área muito escassamente povoada.

A península do Alasca faz parte do chamado Anel de Fogo do Pacífico, zona de grande atividade sísmica e vulcânica entre o golfo do Alasca e a península russa de Kamchaka.

Em 27 de março de 1964, um sismo de magnitude 9,2 abalou a região de Anchorage. Prolongou-se por vários minutos e desencadeou uma onda destruidora ao longo de toda a costa ocidental norte-americana, causando mais de 250 vítimas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG