O mundo avança como "sonâmbulo para catástrofe climática", afirma Guterres

De acordo com a ONU, o planeta precisa reduzir em 45% as emissões até 2030 para que o limite de +1,5 ºC não seja superado.

O mundo avança "como sonâmbulo para a catástrofe climática", alertou nesta segunda-feira o secretário-geral da ONU, António Guterres, que pediu às principais potências que abandonem a dependência das energias fósseis.

O objetivo de limitar o aumento das temperaturas a +1,5 ºC em comparação com a era pré-industrial está "nos cuidados intensivos", declarou Guterres durante a conferência sobre o desenvolvimento sustentável organizada pela revista The Economist em Londres.

De acordo com a ONU, o planeta precisaria reduzir em 45% as emissões até 2030 para que o limite de +1,5 ºC não seja superado. No entanto, as emissões permanecem em alta e o mundo já atingiu +1,1 ºC, o que multiplica, segundo os cientistas que estudam a mudança climática, fenómenos extremos, como grandes secas ou inundações catastróficas.

"O problema está a ficar mais grave", declarou Guterres numa mensagem de vídeo pré-gravada na qual recordou que em 2020 as catástrofes climáticas obrigaram 30 milhões de pessoas a abandonar suas casas, "ou seja, três vezes mais que o número de pessoas deslocadas por conflitos".

"Se continuarmos assim, podemos nos despedir da meta de 1,5 C. E até o objetivo de +2 ºC pode ficar fora de alcance", acrescentou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG