Papa telefonou a Shimon Peres e Mahmud Abbas

O papa manifestou hoje "forte preocupação pela atual situação de guerra" e apelou à paz na Faixa de Gaza, ao falar com o ex-chefe de Estado israelita Shimon Peres e o presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmud Abbas.

Francisco, que "telefonou pessoalmente" a Peres e Abbas, disse que "este clima de hostilidade, ódio e de sofrimento crescente entre os dois povos causa numerosas vítimas e uma situação de emergência humanitária", de acordo com um comunicado do Vaticano.

Como na recente peregrinação à Terra Santa, no final de maio, o papa pediu a "todas as partes implicadas e a todos aqueles que têm responsabilidades, a nível local e internacional, que se empenhem para pôr fim às hostilidades".

Francisco afirmou querer "uma trégua, a paz e a reconciliação dos corações", acrescenta.

No domingo passado, na tradicional oração do Angelus, na praça de São Pedro, o papa tinha já exigiu "gestos concretos para construir a paz", quando a operação militar israelita "Margem Protetora" contra o movimento de resistência islâmico Hamas não tinha ainda atingido a amplitude destas últimas 24 horas.

A 08 de junho, Francisco realizou uma oração comum, no Vaticano, com Shimon Peres e Mahmud Abbas.

Israel decidiu hoje dar início a uma incursão terrestre na Faixa de Gaza para pôr fim ao lançamento de foguetes pelos Hamas e outros grupos armados palestinianoes e destruir a rede de túneis entre o enclave palestiniano e território israelita.

A ofensiva aérea começou a 08 de julho.

Este novo ciclo de violência foi desencadeado com o rapto e homicídio de três estudantes israelitas em junho, atribuídos por Israel ao Hamas, o que os fundamentalistas islâmicos negaram, seguidos pelo assassínio de um adolescente palestiniano, queimado vivo em Jerusalém.

A União Europeia e os Estados Unidos, entre outros países, qualificam o Hamas de organização terrorista.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG