Catalunha diz adeus às touradas

Quando Serafín Marín matar o último dos seis touros da tarde, dá a estocada final na tourada na Catalunha e também numa tradição tida como comum em toda a Espanha. A proibição só entra em vigor em 2012, mas os touros não voltam à praça Monumental.

Ignacio Sánchez Mejías, aquele de quem García Lorca cantou a morte - "Eran las cinco en punto de la tarde..." -, tomou a alternativa ali, em 1919, na Monumental de Barcelona. Em 1974, o toureiro português José Falcão caiu nessa arena atravessado pelos cornos do toiro Cuchareno, de 506 quilos.

Hoje, às seis da tarde, começa a agonia da própria praça. Quando Serafín Marín, toureiro catalão, filho de pedreiro andaluz emigrado para a cidade condal, matar o último touro do cartaz de 6-touros-6, a Monumental chegou ao fim. Hoje acontecerá a última corrida de touros na Catalunha, como todos os anos acontece pelas festas da Mercè, as maiores de Barcelona, quando acaba a época. Só que para o ano não haverá mais.

Leia mais no e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG