Morre de ataque cardíaco 40 minutos após injeção letal

Problemas na aplicação da pena de morte a um preso, que morreu de ataque cardíaco 40 minutos depois de receber a injeção letal, em Oklahoma, levaram ao adiamento de uma segunda execução no mesmo dia nos Estados Unidos.

Segundo o diário The Oklahoman, Clayton Lockett, de 38 anos, e condenado à pena capital pelo homicídio de uma jovem de 19 anos em 1999, teve uma reação quando lhe foi administrada a injeção, que continha uma combinação de fármacos nunca usada previamente no estado de Oklahoma, antes de morrer.

Era a primeira vez que se utilizava o fármaco midazolam como parte de uma injeção de três componentes em Oklahoma, e pouco depois de receber a injeção, o preso começou a sofrer convulsões.

Cerca de meia hora depois do início da execução, o diretor do estabelecimento prisional de Oklahoma, Robert Patton, anunciou o cancelamento da execução porque os medicamentos não estavam a entrar nas veias do réu, mas Lockett acabou por ser declarado morto devido a um ataque cardíaco.

Patton pediu então o adiamento até 14 dias de outra execução que estava prevista para hoje e que deveria ocorrer duas horas depois.

Esta seria a primeira execução dupla nos Estados Unidos no século XXI. A última vez que tal medida foi aplicada foi a 09 de agosto de 2000 nos Texas, e a primeira no estado de Oklahoma, em 1937.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG