Premium "A Indonésia ainda tem de admitir, de forma oficial, que invadiu Timor-Leste"

Há 20 anos, a 30 de agosto de 1999, realizava-se o referendo que daria a independência a Timor-Leste. O académico australiano Clinton Fernandes explica em entrevista a conjuntura regional e o modo como esta influenciou o curso dos acontecimentos na época.

Professor de Estudos Políticos e Internacionais na Universidade de New South Wales, na Austrália, Clinton Fernandes defende que a posição dos EUA foi decisiva, após o referendo de 30 de agosto de 1999, para a Indonésia aceitar a inevitabilidade da independência de Timor-Leste.

Na época do referendo, quais eram os principais equilíbrios regionais e que influência tiveram nos acontecimentos?
O aspeto internacional mais significativo foram as ações de solidariedade e as pressões exercidas pelos EUA sobre a Indonésia para permitir a entrada da força de manutenção de paz.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Na hora dos lobos

Na ação governativa emergem os sinais de arrogância e de expedita interpretação instrumental das leis. Como se ainda vivêssemos no tempo da maioria absoluta de um primeiro-ministro, que o PS apoiou entusiasticamente, e que hoje - acusado do maior e mais danoso escândalo político do último século - tem como único álibi perante a justiça provar que nunca foi capaz de viver sem o esbulho contumaz do pecúlio da família e dos amigos. Seria de esperar que o PS, por mera prudência estratégica, moderasse a sua ação, observando estritamente o normativo legal.