Premium Mick Schumacher vai testar um Fórmula 1. E já se fazem apostas

Campeão de F3, entrou em janeiro para a academia de pilotos da Ferrari. Tem gerido bem o peso do apelido e ouvido elogios. E não esconde o sonho de chegar à F1.

Em janeiro, um comunicado emitido pela Ferrari correu o mundo por causa do apelido de um piloto. A marca italiana anunciou que tinha chegado a acordo com Mick Schumacher, filho do heptacampeão do mundo de Fórmula 1, para integrar a academia de pilotos da escuderia do cavallino rampante, um trampolim para jovens pilotos poderem chegar à elite. O anúncio, curiosamente, surgiu poucos dias depois de se completarem cinco anos do acidente sofrido pelo pai, Michael, quando fazia esqui nos Alpes franceses - o verdadeiro estado de saúde do ex-piloto alemão continua a ser um dos segredos mais bem guardados.

Mick Scumacher, de 20 anos, via premiada uma temporada fabulosa na Fórmula 3 europeia (graças a um excecional final de temporada, com oito vitórias e três segundos lugares nas últimas 18 corridas), na qual sagrou-se campeão e valeu-lhe a promoção à Fórmula 2, onde nesta temporada vai correr pela equipa Prema. A estreia do jovem germânico na F2 é já neste fim de semana e Mick nem vai ter tempo para respirar, porque nos dias 2 e 3 de abril vai ter a oportunidade de se estrear aos comandos de um monolugar da F1, nos ensaios privados que estão marcados para o circuito do Bahrein, após a corrida que se realiza neste domingo. O filho de Michael Schumacher vai conduzir um Ferrari SF90 e o monolugar da Alfa Romeo, carro que é equipado com motores Ferrari.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG