Premium O português que vai liderar um hospital de luxo no Médio Oriente

Neste mês, Carlos Martins deixou de ser responsável pelos hospitais de Santa Maria e Pulido Valente, em Lisboa, onde foi administrador durante seis anos. Prepara-se para liderar a comissão executiva de um hospital privado de luxo em Omã. Desafios diferentes, mas com "pontos comuns", diz.

São conhecidos os casos de médicos que deixam Portugal para ir exercer no estrangeiro. Mas entre administradores hospitalares isto não é comum. Carlos Martins, ex-presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar e Universitário de Lisboa Norte e ex-secretário de Estado da Saúde e do Turismo, se não é o único, é dos únicos. Prepara-se para presidir à comissão executiva do Idealmed Muscat Hospital, em Omã, "um projeto com concessão, construção e gestão portuguesa", que deverá estar concluído no primeiro semestre de 2020.

O Idealmed Muscat Hospital será o 12.º hospital privado a abrir em Moscat, capital do sultanato de Omã, para onde Carlos Martins se mudará em setembro deste ano. O projeto, que custará mais de 70 milhões de euros, tem mais de dez mil metros quadrados, seis pisos e cem camas para internamento num "hospital que parece um hotel de cinco estrelas", como se pode ler na apresentação do projeto.

Ler mais

Exclusivos