Premium Tsipras já se prepara para "a mãe de todas as batalhas"

Desde janeiro de 2016 que o Syriza está em segundo nas sondagens, atrás da Nova Democracia. Conseguirá o primeiro-ministro recuperar a tempo das legislativas previstas para outubro de 2019?

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, está nomeado junto com o seu homólogo macedónio, Zoran Zaev, para o Nobel da Paz de 2019, por terem assinado em julho de 2018 um acordo que põe fim à disputa sobre o nome da Antiga República Jugoslava da Macedónia - que passará a chamar-se República da Macedónia do Norte. O acordo terá ainda de ser ratificado na Grécia e isso irá provavelmente fazer cair o governo de Tsipras mais cedo do que o previsto (as eleições deviam ser só em outubro). Tudo porque os parceiros de coligação, os conservadores populistas do ANEL, avisaram que vão deixar de o apoiar se houver a votação no Parlamento.

Em finais de agosto, após uma pequena remodelação governamental, Tsipras afastou a hipótese de antecipar as legislativas, que chamou de "a mãe de todas as batalhas". Mas poderá ser obrigado a isso. "O Syriza está ciente de que existe essa possibilidade e aposta num impulso positivo que pode vir das melhorias na frente económica e nas relações externas da Grécia. Contudo, até agora, este impulso ainda não se materializou", disse ao DN Vasilis Leontitsis, membro do Grupo de Especialistas em Política Grega (GPSG, na sigla em inglês) e professor de Estudos Globais na Universidade de Brighton, no Reino Unido.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.