Premium Para onde vai Itália (arrastar a Europa) em 2019?

O choque entre as instituições europeias e o governo italiano pode ser menos institucional e mais político. Institucionalmente a Comissão Europeia pretende que Itália respeite os compromissos orçamentais, mas mostra ambivalência para com as exigências feitas aos franceses de redistribuição, geradas pelos coletes amarelos, alimentando, assim, as tensões políticas. Politicamente as famílias partidárias tradicionais querem levar os "populistas" ao fracasso no governo.

O défice italiano foi controlado graças à negociação "institucional" feita pelos "técnicos", tais como: o primeiro-ministro Giuseppe Conte e o ministro da Economia Giovanni Tria. Mas o confronto "político" é agora centrado nas eleições europeias de maio. Para analisar brevemente este cenário deve retirar-se da análise a questão da saída do euro, que o Movimento 5 Estrelas (M5S) afastou do debate governamental.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG