Everton quer contratar Jorge Jesus para substituir Marco Silva

Os dirigentes do clube inglês estão a negociar com o empresário Pini Zahavi, que representa o treinador do Flamengo desde fevereiro. Jesus só deixará o Brasil depois do Mundial de Clubes e já fez saber que quer um projeto que lhe permita lutar por títulos.

Jorge Jesus é o treinador preferido pelos dirigentes do Everton para assumir a equipa em substituição de Marco Silva, que se encontra numa situação muito fragilizada devido aos maus resultados da equipa na Premier League, onde ocupa o 16.º lugar, com apenas quatro pontos acima da zona de despromoção.

Ao que o DN apurou, os responsáveis do clube de Liverpool já iniciaram contactos com o empresário israelita Pini Zahavi, que em fevereiro deste ano assinou contrato de representação com o treinador português válido por um ano, depois de uma reunião entre os dois em Lisboa, ficando assim mandatado para negociar com clubes, preferencialmente europeus, que pretendam os serviços de Jorge Jesus. Ainda assim, o agente de 76 anos ficou fora das negociações com o Flamengo em junho, que foram feitas diretamente com o técnico.

Neste momento, este cenário só será possível depois de o Flamengo disputar o Mundial de Clubes, no Qatar, estando o jogo das meias-finais marcado para o dia 17 de dezembro, no qual o adversário sairá do vencedor do jogo entre o Al Hilal, da Arábia Saudita, e o Espérance de Tunis, da Tunísia, enquanto a final se realiza a 21 de dezembro, provavelmente com o Liverpool. Ou seja, de acordo com fonte próxima de Jorge Jesus, é impensável neste momento deixar o clube do Rio de Janeiro antes dessa competição, que é um dos grandes objetivos do treinador e do clube carioca.

Adeus ao Flamengo é inevitável

É certo que o contrato entre Jesus e o Flamengo é válido até junho do próximo ano, no entanto existe uma cláusula que lhe permite sair em dezembro sem que tenha de pagar qualquer indemnização. Nesta altura, o treinador português está mais inclinado em dar por concluído o seu trabalho no clube do Rio de Janeiro, depois de conquistados o Brasileirão e a Taça Libertadores, dois títulos tão ansiados pelos adeptos e responsáveis do Mengão.

Ainda para mais, o técnico não considera atrativo continuar no clube para disputar o campeonato estadual até final do seu contrato e, como tal, pretende estar disponível para novos desafios. Isto apesar de ter ficado sensibilizado com as manifestações de carinho que tem recebido nos últimos dias, mas a decisão de sair terá por base uma análise racional e não emocional, como o próprio já deixou entender mais do que uma vez depois do triunfo diante do River Plate, em Lima, no Peru.

As negociações entre os dirigentes do Everton e Pini Zahavi estão em marcha, faltando agora saber se os toffees estão na disposição de esperar pelo final do Mundial de Clubes, não sabendo se Jesus estaria na disposição de aceitar treinar o Everton, uma vez que, tal como o DN adiantou nesta terça-feira, o técnico português de 65 anos quer abraçar um projeto que lhe permita lutar por títulos, algo que neste momento o clube inglês não está em condições de oferecer, apesar de ainda estar na Taça da Liga e na Taça de Inglaterra.

Projeto para lutar por títulos decisivo

Fonte próxima de Jorge Jesus explicou ao DN, no entanto, que a viabilidade deste "casamento" dependerá sempre do projeto que lhe for apresentado, pois se o Everton apresentar recursos financeiros para que possa subir o patamar competitivo para, em breve, poder lutar pela conquista da Premier League, tudo será possível. É bom lembrar que nas últimas três temporadas os toffees investiram qualquer coisa como 423 milhões de euros, mas não conseguiram melhor do que um oitavo lugar nas duas últimas épocas, estando agora num incómodo 16.º lugar.

A situação do Everton na Premier League é, neste momento, complicada, até porque só venceu quatro jogos em 13 jornadas, o que põe em risco o lugar de Marco Silva, tendo o técnico português, inclusive, sido assobiado no final da derrota caseira (0-2) com o Norwich, no último sábado. E para agravar a situação, os próximos cinco jogos são frente ao Leicester, atual segundo classificado, e diante dos gigantes Liverpool, Chelsea, Manchester United e Arsenal, o que não é muito animador para a equipa, que pode afundar-se ainda mais na tabela. Como tal, se as coisas correrem mal, o mais certo é Marco Silva dizer adeus a Goodison Park, quase um ano e meio depois de ter sido apresentado.

Assim sendo, resta saber se o milionário proprietário do Everton, Farhad Moshiri, estará na disposição de esperar até final de dezembro e se terá capacidade para convencer Jorge Jesus com um projeto mais ambicioso do que aquele que tem sido a vida do clube de Liverpool, que desde 1995 não vence um troféu e em 1986-87 conquistou o último dos seus nove títulos de campeão inglês.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG