Premium Aconteceu em 1963 - O espião que traiu a NATO

Georges Pâques foi um espião francês que revelou "segredos" da NATO à Rússia. Há 66 anos, o DN destacava na primeira página o à vontade que tinha nos interrogatórios. "Foi uma brecha na defesa da França."

Durante a Guerra Fria, e sendo a França um dos países fundadores da NATO, a existência de um espião francês a colaborar com a Rússia era uma machadada na Aliança. Daí o destaque do DN dado a George Pâques na edição de 26 de setembro de 1963, sublinhando que os planos militares teriam de ser alterados.

George Pâques, por seu turno, mostrou-se muito tranquilo quanto ao que tinha feito. "Limito-me a antecipar a história", cita o DN. Explica o jornal que o espião se mostrou muito à vontade, "como se estivesse nas reuniões mundanas e literárias, onde afirmava, citando Lenine, 'os russos ganharão a Europa a partir de África'".

Ler mais

Exclusivos