Premium Um passo para a Amazónia, um salto para a Igreja

No Vaticano, a palavra revolução será ousada para caracterizar as conclusões do Sínodo dos Bispos, mas pode abrir-se a porta à ordenação de homens casados e ao diaconato de mulheres.

É um pequeno passo para as comunidades católicas da Amazónia, mas poderá ser um salto gigantesco para a Igreja aquele que o Sínodo dos Bispos sobre a Amazónia, que termina amanhã no Vaticano, pode votar como sugestão para o Papa: a possibilidade de as mulheres serem diáconos, de os homens casados poderem ser ordenados padres e de existir uma liturgia específica para as comunidades amazónicas.

A palavra revolução será ainda demasiado ousada para caracterizar as principais conclusões deste encontro de bispos de todo o mundo, que só serão votadas neste sábado e cujo texto deverá ser conhecido durante o dia. Mas as pistas dadas pelos 12 grupos de trabalho que discutiram a extensa agenda do sínodo apontam pelo menos num sentido: uma maior abertura da estrutura católica no papel atribuído às mulheres e aos homens casados.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG