Ronaldo emociona-se e reparte recorde com Marta. Na Coreia do Norte descobre-se que líder tem filhos

A semana ficou marcada pelos constantes ataques da Rússia na Ucrânia onde vai destruindo as infraestruturas elétricas. No Mundial, Portugal ganha o primeiro jogo e o capitão Ronaldo soma mais um recorde (que tem de dividir com jogadora brasileira).

SÁBADO

Segredo de Estado. Kim Jong-un tem uma filha. Ou mais...

A Coreia do Norte é um mistério. Pouco se sabe sobre o país liderado por Kim Jong-un e que é notícia por estes tempos pelos periódicos lançamentos de mísseis. Mas esta semana a notícia foi a presença em fotografias de uma jovem que os média nacionais disseram ser filha do chamado líder supremo. E esse facto é notícia por vários motivos: não é normal haver revelações sobre a família de Kim Jong-un, não se sabia que tinha uma filha, nem sequer se tem mais, apesar de haver analistas a dizer que terá três descendentes. No caso da jovem, ela surge de mão dada com o presidente a acompanhar o lançamento de um míssil intercontinental e numa outra foto surge também a primeira dama do país, Ri Sol-ju. Apesar de não se saber mais nada - nem o nome foi publicado - só a presença nas imagens já foi um acontecimento.

DOMINGO

A bola rola e as polémicas continuam

Após dias de muita polémica -- que deveriam ter sido antecedidos de anos de condenação, mas não foram - começou o Mundial de futebol no Qatar. No campo desportivo, a seleção da casa jogou com o Equador e perdeu por 2-0. Tornou-se, assim, a primeira equipa de um país organizador a perder o jogo inaugural. Antes do encontro realizou-se a cerimónia de abertura onde a surpresa foi a presença do ator americano Morgan Freeman, que deixou um apelo para a inclusão num país onde os direitos dos trabalhadores e das pessoas LGBTQ+ não são respeitados. A terminar, só mais uma achega para as polémicas (embora esta não se compare às referidas): no jogo de abertura a organização disse que estiveram presentes mais de 67 mil espectadores. Problema: oficialmente, o Estádio Al Bay só tem lugar para 60 mil pessoas...

SEGUNDA-FEIRA

Dia da Dignidade e Liberdade lembrado na guerra

"Podes ter dignidade sem liberdade. Podes ter liberdade, mas não ser digno dela. Estes são valores que vão melhor juntos". Esta foi uma parte da mensagem que o líder da Ucrânia Volodymyr Zelensky divulgou no dia da "Dignidade e Liberdade", que assinalou com a mulher ao colocar velas no monumento que recorda as revoluções Laranja (2004) e da Dignidade (2013). Mais um apelo do presidente ucraniano quando as condições de vida no país estão a piorar devido ao aproximar do Inverno - as temperaturas estão negativas e a neve marca presença - a que se junta o facto de não haver fornecimento de energia pois as estruturas elétricas estão destruídas ou muito danificadas. E com a certeza de que a guerra estará longe de terminar.

TERÇA-FEIRA

Novela Ronaldo acabou. Começou a novela Ronaldo

A dois dias da estreia de Portugal no Mundial de futebol surge a notícia que "descansou" os adeptos e que todos adivinhavam: o Manchester United e Ronaldo deram por terminado -- de "forma imediata" -- o contrato que os unia até ao verão. O futebolista português prescindiu de receber 18 milhões de euros e o Manchester "livrou-se" de um crítico dentro do plantel. Com este tema resolvido poderíamos pensar que o tema Ronaldo ia deixar de ser falado e passar-se-ia a falar da seleção e da ambição para a prova. Puro engano. Ainda nem todos tinham lido bem a notícia sobre a saída do clube inglês e já estava em alta uma outra novela: para onde vai agora Ronaldo? As cenas dos próximos capítulos prometem ser aliciantes.

QUARTA-FEIRA

Rússia aumenta ataques de mísseis a estruturas elétricas

A "operação especial" da Rússia na Ucrânia tem mantido uma cadência de ataques bastante alta, principalmente desde a saída do exército russo da cidade de Kherson, e parece que com um objetivo bem definido: destruir as infraestruturas elétricas do país, o que é uma maneira de deixar milhões de pessoas sem forma de aquecimento, quando já tinham dificuldades em aceder a água potável. Duas outras notícias marcaram o dia: o Pentágono afirmou que a Rússia está a ficar sem munições, o que é desmentido pelo Kremlin, e o Parlamento Europeu declarou o Estado russo como promotor de terrorismo. A resposta foi rápida: o site do parlamento foi atacado por hackers pró-russos.

QUINTA-FEIRA

Capitão chora a ouvir o hino. E divide recorde com Marta Silva

Parecia incontornável e foi mesmo. Ronaldo foi uma das figuras do jogo de Portugal com o Gana, na estreia da seleção no Mundial. Com todos os holofotes virados para ele, somou mais um feito: marcou em cinco Mundiais. Não foi o primeiro a alcançar tal recorde pois a brasileira Marta Silva já o tinha conseguido (2003, 2007, 2011, 2015 e 2019). Mas foi, sem dúvida, o mais mediático. Ao mesmo tempo marcou o 50.º golo de Portugal em fases finais da competição. A equipa liderada por Fernando Santos venceu (3-2), sem no entanto se livrar de vários sustos. E lá conseguiu "resolver" um problema que se arrastava há três Mundiais consecutivos: não vencer no primeiro desafio. Para a história fica ainda a emoção de Ronaldo quando tocava o hino, com o capitão a deixar escapar umas lágrimas.

SEXTA-FEIRA

Orçamento aprovado com mais uns momentos de tensão

Uma discussão sobre se o Chega é um partido "não democrático" animou a votação do OE para 2023. Os momentos de tensão entre o partido liderado por André Ventura e o PS foram provocados pelo discurso do líder parlamentar dos socialistas onde Eurico Brilhante Dias se referiu ao Chega como "não democrático". André Ventura não gostou e acusou o PS de criar "um ambiente de conflito permanente". Na resposta ouviu que "quem diz repetidamente que é um partido antissistema, e como nós vivemos numa democracia é antissistema democrático, são os deputados do Chega". A tensão acalmou e o OE foi votado favoravelmente pelo PS, com a abstenção do Livre e do PAN e o voto contra dos restantes partidos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG