Exclusivo Aumento do salário mínimo não prejudicou exportações

É um dos argumentos para contestar aumentos do valor do salário mínimo nacional, mas de acordo com os dados apresentados pelo governo a subida em janeiro deste ano não causou qualquer abrandamento na capacidade exportadora.

O salário mínimo nacional (SMN) aumentou para os 580 euros a 1 de janeiro, mas o efeito na competitividade das empresas portuguesas foi nulo. De acordo com o Relatório de Acompanhamento do Acordo sobre a Retribuição Mínima Garantida, apresentado ontem aos parceiros sociais, "da análise da evolução das exportações não se encontram evidências de um recuo ou abrandamento provocado pelo aumento da Remuneração Mínima Mensal Garantida (RMMG) em janeiro de 2018".

Na avaliação que acompanha o relatório trimestral, admite-se que "as atualizações da RMMG poderão ter impactos nas empresas e nos setores exportadores, podendo afetar a sua competitividade", por isso é feita a análise da evolução das exportações de bens e serviços, sendo que, para já, não há indícios de que a atualização de 23 euros no início deste ano tenha afetado as vendas ao exterior.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG