Exclusivo VAR, uma história de amor e ódio em toda a Europa

Este mês de janeiro tem sido de intensa contestação para o videoárbitro em Portugal e Espanha. A tecnologia de auxílio aos árbitros continua a não ser consensual, mas está a ser mais bem aceite em Itália e na Alemanha, onde teve um início difícil.

A final four da Taça da Liga abriu uma frente de polémica no futebol português por causa das decisões dos árbitros, sobretudo do videoárbitro (VAR). A contestação de vários quadrantes superou aquilo que foi a qualidade dos espetáculos no Estádio Municipal de Braga. Portugal foi um dos países europeus pioneiros na adoção desta tecnologia de auxílio do trabalho dos árbitros, que começou a ser aplicada no início da época passada (2017-2018), foi elogiada por uns e olhada com desconfiança por outros.

Em outubro de 2017, pouco mais de dois meses desde a implementação do VAR, os presidentes da Federação Portuguesa de Futebol e da Liga, respetivamente, Fernando Gomes e Pedro Proença, alcançaram um entendimento para que o projeto fosse prolongado para 2018-2019, com a FPF a assumir os custos inerentes à utilização das imagens visionadas na Cidade do Futebol, em Oeiras.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG