Guarda paga segunda noite aos turistas e atribui desconto em refeições

Campanha "1056 Noites Altas" arranca no dia 1 de julho e terá a duração máxima de nove meses. Cidade vai também receber nos dias 3 e 4 do próximo mês o primeiro festival de "gastronomia de altitude" do país.

A Câmara Municipal da Guarda vai pagar a segunda noite aos turistas que visitem o território a partir de 1 de julho e atribuir 10 euros de desconto em refeições nos restaurantes locais, anunciou o município. Com a campanha "1056 Noites Altas", que tem a duração máxima de nove meses, a autarquia presidida por Carlos Chaves Monteiro pretende apoiar as unidades de hotelaria e de restauração do concelho, e ajudar os empresários na retoma da iniciativa turística.

"É mais um projeto que o município desenvolve para defender a economia local, também o seu poder de atração de turistas e, com isso, apoiar os equipamentos hoteleiros, os hotéis da Guarda. Assim, no sentido de promover aqueles que procuram a Guarda e que dormem cá uma noite, nós damos uma segunda noite para continuarem a ficar no território", disse ontem o presidente da Câmara à agência Lusa.

Segundo o responsável, a este apoio acresce a atribuição de um voucher de 10 euros, para que os mesmos turistas o descontem em refeições realizadas localmente. Carlos Chaves Monteiro considera tratar-se de uma medida "da maior importância" para ajudar os restaurantes, os hotéis e as unidades de alojamento local a ultrapassar as dificuldades económicas provocadas pela pandemia.

Apesar de o setor do turismo na região ter registado uma maior procura por turistas nacionais durante a pandemia causada por covid-19, o autarca da Guarda pretende que, nos próximos meses, os visitantes permaneçam mais tempo no território e ajudem a economia local. "E, por isso, esse reforço de uma noite [oferecida a todos os turistas que efetuem uma reserva num alojamento], mais um voucher da refeição de 10 euros. Penso que estão reunidos os ingredientes necessários para [o município da Guarda] poder continuar a apoiar o setor turístico, equipamentos hoteleiros e restauração e, com isso, aumentar o poder de atração de turistas, de famílias, ao nosso território", declarou.

A campanha "1056 Noites Altas" tem a duração máxima de nove meses (irá decorrer entre os dias 1 de julho de 2021 e 31 de março de 2022), sendo que as medidas serão renovadas de três em três meses, segundo o presidente da autarquia. O primeiro período da campanha decorrerá entre 1 de julho e 30 de setembro. Ainda de acordo com o autarca, a Câmara Municipal da Guarda vai disponibilizar uma verba de cerca de 62 mil euros para a iniciativa, sendo que 50 mil euros são destinados às unidades hoteleiras e de alojamento existentes no território e cerca de 12 mil euros para os restaurantes aderentes.

Gastronomia de Altitude

Entretanto, a Guarda vai receber nos dias 3 e 4 de julho o 1.º Festival de Gastronomia de Altitude do país, denominado "ALTITUDO", que contará com a participação de "mais de 20 chefs nacionais e internacionais". Segundo o município, durante dois dias, a cidade mais alta do país "celebra o que de melhor existe na região" e será "a capital da gastronomia de altitude".

"Com um percurso que tem início junto à Sé da Guarda, em pleno centro histórico da cidade, o ALTITUDO conta com um elenco de mais de 20 chefs nacionais e internacionais que irão cozinhar pratos inspirados na cozinha da região e nos seus produtos, como o cabrito, a batata, o pão, o queijo, os enchidos ou a vaca jarmelista", refere a autarquia da Guarda em comunicado. O 1.º Festival de Gastronomia de Altitude a acontecer em Portugal é promovido numa parceria entre o município da Guarda e a Amuse Bouche, com o apoio do Turismo do Centro. É uma iniciativa realizada no âmbito do Arrebita Portugal, Grande Prémio da Academia Portuguesa de Gastronomia em 2020, e o único festival gastronómico já realizado em contexto de pandemia.

De acordo com a fonte, pela primeira vez nos eventos Arrebita Portugal um chef internacional junta-se aos chefs portugueses. "Arcangelo Tinari (Villa Maiella, 1 estrela Michelin) vem de Abruzzo, uma região com grande extensão de área montanhosa e conhecida como "a região mais verde da Europa", uma vez que quase metade do seu território são parques e reservas naturais protegidos. O chef trará os sabores das montanhas italianas para as montanhas portuguesas", lê-se.

Os promotores referem que entre os restantes nomes confirmados estão Tiago Bonito (Casa da Calçada, 1 estrela Michelin), António Loureiro (A Cozinha, 1 estrela Michelin), Ricardo Nogueira (Mugasa), David Jesus e Sandra Freitas (Millstone Sourdough), Cristiano Barata e Miguel Diniz (Vifanas), Stéphanie Audet (Senhor Uva), Mateus Freire (Osso Bento), Francesco Ogliari e Marisa Diniz (Tua Madre), Leonor Godinho (Musa da Bica), Pedro Oliveira (ex-Benu, EUA), Vítor Adão (Plano), Angélica Salvador (InDiferente), Maurício Vale (SOI), Miguel Peres (Pigmeu), Pedro Abril (Shogun), Zé Paulo Rocha (Velho Eurico), Natalie Castro (Isco) e Hugo Brito (Boi-Cavalo). A representar a gastronomia regional estarão os chefs João Costa (Dsigual Wine House) e Ricardo Carola (Pensão Aliança).

O evento vai decorrer entre as 13.00 e as 21.30 no dia 3 de julho, e entre as 13.00 e as 21.00 no dia 4. O número de visitantes será "permanentemente controlado e limitado, para que todos possam desfrutar do evento em segurança".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG