Benfica é o grande vencedor de domingo gordo de recorde para o FC Porto

Águias goleiam Sp. Braga na Luz, sobem dois lugares e ascendem à vice-liderança. FC Porto iguala sequência de 15 vitórias consecutivas de 1984-85. Primeira derrota do Sporting da era Keizer surge ao oitavo jogo.

O cardápio da I Liga para este domingo prometia, com os seis primeiros em confronto, numa espécie de cimeira G6 do futebol português que levou um total de 133 485 pessoas aos estádios da Luz, do Dragão e D. Afonso Henriques e mexeu com os lugares cimeiros da tabela classificativa, em que só o líder FC Porto manteve o posto intacto.

O Benfica, que entrou para esta jornada na quarta posição, foi o grande vencedor do dia. Não só goleou o Sp. Braga por 6-2 na Luz, num duelo de candidatos ao título, como aproveitou o desaire do Sporting em Guimarães para galgar dois degraus na classificação, ascendendo à vice-liderança da prova.

As águias vinham de quatro vitórias consecutivas pela margem mínima e com exibições pálidas frente a V. Setúbal, AEK, Marítimo e Montalegre, mas deram um pontapé na crise de performances, somando o sétimo jogo seguido e dando seguimento às tradições de vencerem todos os duelos com os bracarenses desde que Rui Vitória está no cargo (sete) e de não perderem na Luz diante dos arsenalistas para o campeonato. Talvez nem o mais otimista dos benfiquistas esperasse uma goleada frente a um concorrente que vinha de cinco vitórias consecutivas, esteve 395 minutos sem sofrer golos e somente tinha sofrido uma derrota nos 20 jogos até então disputados na temporada. Num ápice, os encarnados tornaram-se o melhor ataque da prova, com 30 golos, e a primeira equipa a marcar seis golos ao Sp. Braga no campeonato nos últimos 22 anos. Pizzi, Jardel, Grimaldo, Jonas, Cervi e André Almeida foram os autores dos remates certeiros que colocaram a Luz em delírio, Dyego Sousa e João Novais marcaram para o conjunto orientado por Abel Ferreira.

Mais a norte, no Dragão, o líder FC Porto entrou a perder pela quarta vez nos últimos cinco jogos - entre os quais os derradeiros três -, sofreu, mas voltou a ter estrelinha de campeão e garantiu a 15.ª vitória consecutiva em todas as competições, igualando o melhor registo da história do clube, que remontava a 1984-85 e tinha Artur Jorge como homem do leme. Ao golo de Carlos Vinicius, os homens de Sérgio Conceição responderam com os de Brahimi e Marega, com o maliano a voltar a faturar à sua principal vítima em Portugal - já são dez golos aos vila-condenses. Se os dragões deram continuidade à onda vitoriosa, o Rio Ave somou o quinto jogo consecutivo sem triunfos em todas as competições e caiu do sexto para o décimo lugar, tendo sido ultrapassado por Belenenses, Moreirense, Santa Clara e Portimonense no decorrer de um fim de semana que também ficou marcado pela saída do treinador José Gomes para o Reading, da II Liga inglesa - o interino Augusto Gama esteve no banco no jogo deste domingo.

Se benfiquistas e portistas já estavam contentes, mais ainda ficaram quando viram o Sporting perder três pontos no Estádio D. Afonso Henriques, saindo vergado pelo Vitória de Guimarães (0-1), com golo de Tozé aos 26 minutos, naquela que foi a primeira derrota da era Marcel Keizer, depois de sete jogos, outras tantas vitórias e 30 golos marcados. Frente a um adversário que reforçou o quinto lugar e somou o 12.º encontro consecutivo sem perder em todas as competições, os leões elevaram para 19 o número de jogos seguidos a sofrer golos na I Liga na condição de visitado e caíram para o degrau mais baixo do pódio. A componente defensiva começa mesmo a ser um problema para a turma de Alvalade, que sofreu golos em oito das últimas nove partidas - a exceção aconteceu na Liga Europa, diante do Vorskla (3-0).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG