A semana num minuto

SÁBADO

A vitória muito política da Ucrânia na Eurovisão

Não se pode dizer que tenha sido uma surpresa quando os ucranianos Kalush Orchestra e a sua canção Stefania se sagraram vencedores do Festival Eurovisão da Canção. Com o mundo de olhos postos no conflito no seu país, desde a invasão russa a 24 de fevereiro, a banda ucraniana ultrapassou, graças ao voto do público, o britânico Sam Ryder e o seu Space Man, conseguindo um total de 631 votos - mesmo assim longe dos 758 conquistados por Salvador Sobral na sua vitória de 2017 com Amar pelos Dois. Saudados pelos líderes europeus e da NATO, os Kalush Orchestra divulgaram entretanto um vídeo da canção vencedora gravado em vários lugares do país devastado pela guerra, incluindo em Bucha. E vão leiloar o troféu em prol do exército ucraniano.

DOMINGO

SPD de Scholz derrotado na Renânia do Norte-Vestefália

Com quase 18 milhões de habitantes, a Renânia do Norte-Vestefália é o Estado alemão mais populoso, o que só torna mais pesada a derrota dos sociais-democratas do chanceler Olaf Scholz nas eleições deste domingo. Criticado a nível nacional pela forma como tem gerido a crise provocada pela invasão da Ucrânia pela Rússia, o SPD obteve 26,7% dos votos naquele que por muito tempo foi um dos seus bastiões. A vitória foi para os democratas-cristãos da CDU - atualmente no governo naquele Estado em coligação com os liberais do FDP -, que conseguiram 35,7% dos votos. Depois da derrota nas legislativas de 2021, a CDU tem agora oportunidade de formar governo. Mas não é certo. Afinal, o SPD ainda pode convencer os Verdes, terceiros, com 18%, a aliarem-se-lhe.

SEGUNDA

Élisabeth Borne, uma tecnocrata em Matignon

Depois de Édith Cresson entre maio de 1991 e abril de 1992, Élisabeth Borne tornou-se na segunda mulher a chefiar um Executivo em França. Depois da demissão de Jean Castex, foi na atual ministra do Trabalho que recaiu a escolha do presidente, Emmanuel Macron, para Matignon. Mas se conhece bem uma das bandeiras do presidente para os próximos cinco anos - o adiamento da idade da reforma dos 62 para os 65 anos -, Borne destacou como prioridade "o desafio climático e ecológico". Tecnocrata, próxima da esquerda, a nova primeira-ministra dedicou a sua nomeação "a todas as meninas. Levem os vossos sonhos até ao fim". Com as legislativas marcadas para junho, se o partido de Macron não obtiver a maioria, Borne pode acabar por estar no cargo ainda menos tempo do que Cresson.

TERÇA

Cannes: as estrelas voltam em pleno à Croisette

Os filmes em competição pela tão desejada Palma de Ouro são 21, mas em Cannes, por estes dias, há muito mais cinema para ver, entre sessões paralelas e o gigantesco Mercado do Filme. Depois de duas edições marcadas pela pandemia, as estrelas estão este ano de volta em pleno à Croisette, para o festival. E se as "hostilidade" abriram com Coupez!, de Michel Hazanavicius, ali também não faltam alguns dos filmes que irão marcar a agenda cinematográfica do planeta. Desde Elvis, o biopic realizado por Baz Luhrmann e protagonizado por Austin Butler, até Top Gun: Maverick, de Joseph Kosinzki, com Tom Cruise a retomar uma das suas personagens mais populares. E foi um alvoroço quando na quarta-feira o ator aterrou - literalmente, ou não tivesse chegado de helicóptero ao terraço do Palais - em Cannes. O vencedor será anunciado no dia 28.

QUARTA

Varíola dos macacos: o último alerta de saúde mundial

Depois de surtos em países europeus, como o Reino Unido e Espanha, a DGS confirmou os primeiros casos em Portugal de varíola dos macacos. Doença endémica, cujo primeiro caso humano foi descoberto em 1970 no Congo, a varíola dos macacos é endémica de zonas selvagens de África. Roedores e primatas podem ser hospedeiros e transmitir a doença a humanos. É transmissível através do contacto próximo com pessoas ou animais infetados ou materiais contaminados. As erupções cutâneas são o principal sintoma, provocando comichões ou dor. Mas também pode causar febre, dores de cabeça e musculares, inchaço dos nódulos linfáticos e cansaço extremo. Tratamento não há. Mas a infeção raramente evolui para casos graves e acaba por passar sem intervenção médica.

QUINTA

Costa com as tropas na Roménia antes da visita a Kiev

Diante dos 222 militares portugueses destacados na Base Militar de Caracal, António Costa garantiu que a missão das forças portuguesas presentes na Roménia terá como principal objetivo a manutenção da paz na Europa. Antes de seguir para a Polónia, e finalmente para a Ucrânia, o primeiro-ministro português sublinhou a natureza "defensiva" da NATO, mas garantiu: "Estamos a tornar claro à Rússia de que há um alto preço a pagar pela agressão contra qualquer membro da NATO. A Rússia não deve ter dúvidas sobre a nossa determinação em defender cada palmo de terra." Em cima da mesa no encontro com Zelensky, em Kiev, estará o estatuto europeu na Ucrânia, com Costa a garantir, já em Varsóvia, que irá empenhar-se para que a UE chegue a consenso, com a solução a passar talvez por uma integração no mercado comum.

SEXTA

Timor celebra 20 anos de independência entre festa e desafios

Foi com uma transição de poder noturna que José Ramos-Horta regressou à presidência de Timor-Leste. A data, essa, não podia ser mais simbólica: coincidiu com os 20 anos de independência do país. No recinto de Tasi Tolu, nos arredores de Díli, Ramos-Horta pediu consenso nacional para Timor atingir metas urgentes, como a erradicação da subnutrição infantil ou a pobreza extrema. Horas depois, já no Parlamento, o presidente lembrou que o país já percorreu um longo caminho de consolidação democrática, mas continua a enfrentar "desafios exigentes". À festa timorense juntaram-se delegações de mais de 30 países. Portugal não podia faltar, e o Presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, entre selfies e condecorações, defendeu o "salto enorme em frente" nas relações entre os dois países.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG