Ricardo Jesus e José Rocha trabalharam com Bruno Lage no Vendas Novas. O primeiro era jogador, o segundo
Premium

Benfica

Lage pelos amigos. "Para o tirar do sério é preciso muito, mas se for necessário dá dois berros"

José Rocha, que incorporou pela primeira vez o atual treinador do Benfica numa equipa técnica, e Ricardo Jesus, amigo e antigo jogador, falam do homem que levou as águias ao 37.º título nacional. E desmontam o discurso do treinador durante os festejos no Marquês de Pombal.

Bruno Lage reconhece que o passado é a chave do presente e não esquece quem lhe deu a mão. Assim que teve um microfone por perto após a conquista do 37.º título nacional do Benfica, no sábado, aproveitou para dedicá-lo ao mentor Jaime Graça, à família e a dois outros treinadores que fizeram parte do seu percurso: Carlos Carvalhal, de quem foi adjunto nas últimas épocas, e José Rocha, que o incorporou pela primeira vez numa equipa técnica e que gradualmente lhe foi atribuindo mais responsabilidades.

"Quando ele estava a tirar o curso de educação física, o pai dele [Fernando Lage Nascimento] pediu-me para o ter na equipa técnica dos juvenis do Vitória de Setúbal e foi aí que começou. Vi logo que era um miúdo, naquela altura com uns 17 anos, muito dedicado e sempre em cima dos acontecimentos. Apontava tudo", recordou José Rocha ao DN, voltando à época 1997-98.

Ler mais

Exclusivos