Lidl deixa de vender sacos de plástico a partir de maio

Projeto arranca nas 77 lojas a norte e estende-se até ao final do ano a todo o país. Tem impacto de 2,5 milhões de euros na faturação da cadeia alemã.

A partir de maio, o Lidl vai deixar de vender sacos de plástico. O processo, pioneiro no mercado português da grande distribuição, arranca nas 77 lojas da cadeia alemã na região norte, estendendo-se até ao fim do ano às mais de 250 lojas em todo o país. Em alternativa, os consumidores poderão adquirir sacos de papel, por dez a 14 cêntimos. Com esta decisão, a empresa deixa de vender, por ano, 25 milhões de sacos de plástico, o que representa uma faturação de 2,5 milhões de euros.

"Este é um compromisso que reforça a relevância da sustentabilidade na estratégia do Lidl Portugal. É nosso objetivo melhorar a conduta ambiental e contribuir também para a adoção de comportamentos mais responsáveis, seja do nosso negócio seja junto das comunidades", diz Bruno Pereira, administrador de compras do Lidl. Em média, cada português usa 466 sacos de plástico por ano, segundo a Agência Portuguesa do Ambiente.

Outros países

Portugal junta-se a mercados como Espanha ou Reino Unido, onde o Lidl abandonou a venda de sacos de plástico, substituindo-os por opções mais sustentáveis. Desde 2015 que a cadeia vendia sacos de plástico compostos por 80% de material reciclado e 100% recicláveis, mas com esta medida evita a entrada de 675 toneladas/ano de plástico no ambiente.

Até 2025, o Lidl quer reduzir em, pelo menos, 20% o consumo de plástico e incorporar 100% de materiais recicláveis em todas as embalagens de marca própria. Nesse sentido, acabou com a venda de artigos de plástico descartável, tendo retirado do circuito 12,5 milhões de copos e cinco milhões de pratos.

Exclusivos