Premium Ser ou não ser, eis a questão

De facto, desde o famoso "to be, or not to be" de Shakespeare que não se assistia a tão intenso dilema britânico. A confirmação do desacordo do Brexit e o chumbo da moção de censura a May agudizaram a imprevisibilidade do modo como o Reino Unido acordará desse mesmo desacordo. Uma das causas do Brexit terá sido certamente a corrente nacionalista, de base populista, com a qual a Europa em geral se debate. Mas não é a única causa. Como deverá a restante Europa reagir? Em primeiro lugar, com calma e serenidade. Em seguida, com muita atenção, pois invariavelmente o único ganho do erro resulta do que aprendemos com o mesmo. Imperativo é também que aprendamos a aprender em conjunto.

À Europa, enquanto perceção e conceito, foi-se lentamente associando uma moldura geográfica, histórica, cultural e espiritual profundamente matizada pela consciência da partilha. A Europa é resultado tanto do que partilhamos enquanto grupo de nações inserido num espaço global como do que fomos capazes de partilhar e projetar em conjunto para o resto do mundo.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG