EDP tranquiliza clientes sobre nova marca SU Eletricidade. Preços mantêm-se

Um milhão de clientes do mercado regulado vão receber uma carta da elétrica nesta semana. A antiga EDP Serviço Universal deixará de existir a 15 de janeiro de 2020.

Depois de a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) ter aprovado - entre várias propostas submetidas pelo Grupo EDP - a nova imagem da EDP Serviço Universal, o comercializador de último recurso que ainda aplica as tarifas reguladas fará seguir nesta semana, pelo correio, um milhão de cartas para informar os clientes da mudança.

Conhecida desde sempre como EDP Serviço Universal, a empresa do grupo que opera no mercado regulado vai agora passar a chamar-se SU Eletricidade e em vez do vermelho-forte, típico do universo EDP, vai mudar para um verde-água e um lettering (tipo de letra) substancialmente diferente. A nova marca entrará em vigor a 15 de janeiro de 2020.

Na carta enviada nesta semana aos clientes da EDP Serviço Universal, e à qual o DN/ Dinheiro Vivo teve acesso, a empresa vai direta ao assunto: "A EDP Serviço Universal vai mudar. Um novo nome, a mesma empresa. Por exigência da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), no início de 2020 vamos mudar o nome e a marca da nossa empresa para SU Eletricidade."

E tranquiliza os clientes: "Todas as condições do seu contrato mantêm-se inalteradas. O seu atual contrato com a EDP Serviço Universal não terá qualquer alteração, apenas a marca muda para SU Eeletricidade." A missiva sublinha ainda que, apesar da mudança da marca, a empresa continua a ser do Grupo EDP.

"Esta é a primeira de várias comunicações que faremos aos nossos clientes sobre a nova marca da empresa que lhes comercializa energia. Queremos garantir-lhes que apenas muda a marca e que essa mudança não alterará o valor das suas faturas. A empresa será a mesma e os preços serão os mesmos, definidos pelo regulador", disse ao DN/Dinheiro Vivo fonte oficial da EDP SU.

No final de 2017, a ERSE decidiu que as várias marcas do universo EDP - Comercial, Serviço Universal e Distribuição - teriam de ser diferentes entre si, de forma inequívoca, para não confundir os consumidores finais de eletricidade. E se a EDP Serviço Universal já avançou no seu processo de mudança de imagem ditado pelo regulador, o mesmo não aconteceu com a EDP Distribuição, muito por causa do adiamento dos concursos para as concessões das redes de distribuição em baixa tensão, ainda a lançar pelo governo, provavelmente em 2020.

De acordo com a EDP, os clientes do mercado regulado (6% do consumo total de energia elétrica em Portugal), onde permanecem apenas cerca de um milhão de consumidores de eletricidade (num total nacional de seis milhões), serão avisados por várias vias: primeiro, através desta carta que acompanhará a fatura e que vai apresentar as duas imagens - a atual e a futura. A mensagem também será reforçada nos vários canais de comunicação da empresa os com clientes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG