Mais turistas e mais procura. Alojamento local é galinha dos ovos de ouro?
Premium

turismo

Mais turistas e mais procura. Alojamento local é galinha dos ovos de ouro?

Será ainda o alojamento local um negócio vantajoso para quem decide investir e abrir as portas de uma casa aos turistas? O conselho de quem sabe é que se faça as contas antes de investir. As novas regras e mais impostos criam instabilidade no mercado, dizem.

Portugal recebe cada vez mais turistas - neste ano, espera-se o recorde de 24 milhões - e esses números refletem-se na procura do alojamento local. Desde janeiro até outubro deste ano, o INE registava quase nove milhões de dormidas (8,88 milhões) em alojamento local, mais 14,5% relativamente ao período homólogo de 2018. O que significa que em dez meses já se alcançaram mais de 160 mil dormidas do que em todo o ano que passou (8,72 milhões).

A opção pelo alojamento local justifica-se, segundo Eduardo Miranda, presidente da ALEP - Associação do Alojamento Local em Portugal, pelo facto de quem nos visita buscar cada vez mais novas formas de alojamento. Porque cada vez mais se viaja com os filhos, com os pais e até com avós. E porque não dispensam, por exemplo, uma cozinha para tratar de refeições. Ou até porque viajam com animais de estimação. Mas será ainda o alojamento local um negócio vantajoso para quem decide investir e abrir as portas de uma casa aos turistas?

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG