Super-Ajax elimina Juventus e acaba com sonho de Ronaldo

Holandeses venceram em Turim com uma exibição de gala. Ronaldo falha possibilidade de conquistar a sexta Liga dos Campeões da carreira. Barcelona também apurado para as meias-finais.

A Juventus de Cristiano Ronaldo foi nesta terça-feira eliminada da Liga dos Campeões por um super-Ajax, que cometeu a proeza de ir vencer por 1-2 a Turim com uma segunda parte de sonho, a lembrar os bons velhos tempos da equipa de Amesterdão. No outro jogo da Champions, o Barcelona apurou-se para as meias-finais com um triunfo categórico sobre o Manchester United, por 3-0. A equipa holandesa fica agora à espera do desfecho do jogo entre o Manchester City e o Tottenham desta quarta-feira para conhecer o adversário na semifinal. Já o Barcelona vai defrontar o vencedor da eliminatória entre o FC Porto e o Liverpool.

Em Turim, a Juventus, com Cancelo no banco e só a entrar na segunda parte, colocou-se em vantagem aos 28 minutos... com um golo de Cristiano Ronaldo, apontado de cabeça, num lance em que foi preciso recorrer ao VAR pois ficaram algumas dúvidas sobre a existência de uma falta na área. O avançado português voltava a marcar outra vez ao conjunto de Amesterdão, outra vez de cabeça, tal como há uma semana no empate a um golo entre as duas equipas. E as coisas pareciam bem encaminhadas para os italianos.

Pareciam, porque o Ajax, com o guarda-redes português Varela no banco, reagiu bem ao golo e mostrou a razão de estar nos quartos-de-final da Champions e de ter deixado pelo caminho nos oitavos-de-final o Real Madrid, após um triunfo por 1-4 em pleno Santiago Bernabéu. Com o brasileiro David Neres em bom plano e Tadic e Van de Beek muito interventivos, os holandeses foram em busca do empate e chegaram ao golo aos 34', por Van de Beek, num lance com algumas culpas para a defesa da Juventus.

Na segunda parte, o Ajax continuou a causar calafrios à equipa de Allegri, exibindo-se a uma nível muito alto e vulgarizando a equipa de Cristiano Ronaldo. Aos 51', Ziyech esteve muito perto do segundo golo, valendo a grande defesa de Szczesny com a mão esquerda a evitar que a bola terminasse no fundo das redes. O guardião da Juventus foi novamente posto à prova aos 57', num grande remate de De Beek.

O Ajax dominava o jogo em Turim e criava situações atrás de situações, perante um conjunto italiano que parecia não ter soluções para contrariar o poderio do adversário.

E aos 66' aconteceu o que se estava à espera, com o capitão De Ligt a marcar de cabeça o segundo do Ajax, na sequência de um canto, e a pôr a sua equipa na frente do marcador, com um resultado que obrigava a Juventus a marcar dois golos. A equipa italiana parecia definitivamente rendida ao grande jogo dos holandeses, sobretudo a um meio-campo de luxo e a um ataque que era um perigo constante.

O apito final chegou (o Ajax ainda viu um golo anulado a Ziyech por fora de jogo) e confirmou-se a eliminação da Juventus e o sonho da equipa italiana de poder novamente erguer uma Liga dos Campeões, um objetivo que foi assumido quando a equipa fez um grande esforço financeiro no início da época para contratar Cristiano Ronaldo.

O avançado português também viu esfumar-se a possibilidade de conquistar a sexta Liga dos Campeões da carreira, ele que nas últimas oito edições conseguiu estar sempre nas meias-finais da competição.

Já o Barcelona recebeu o Manchester United (Nélson Semedo e Diogo Dalot foram suplentes) em Camp Nou com uma margem de confiança considerável, já que tinha vencido o jogo de há uma semana em Old Trafford por 1-0. Os catalães, que tentam chegar a uma final da Liga dos Campeões quatro anos depois (a última vez foi na temporada 2014-15, quando conquistaram a taça ao baterem a Juventus), resolveram logo a questão ainda na primeira parte, por obra e graça do herói do costume, o argentino Lionel Messi. No segundo tempo, Coutinho fez o 3-0 aos 61'.

Nesta quarta-feira realizam-se os outros dois jogos da Champions que vão definir os restantes semifinalistas da competição. O FC Porto recebe o Liverpool no Dragão e está obrigado a anular uma desvantagem de dois golos sofrida no jogo da primeira mão em Anfield.

Já o Manchester City de Bernardo Silva defronta o Tottenham, também com a obrigatoriedade de vencer, pois foi derrotado por 1-0 em Londres há uma semana. A boa notícia para o treinador Pep Guardiola é que os spurs não vão poder contar com o avançado Harry Kane, devido a lesão.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG