Exclusivo Alfa Romeo. A equipa que fez Fangio campeão regressa ambiciosa ao Grande Circo

Passaram-se 35 anos desde a última vez que um Alfa Romeo chegou ao pódio de um Grande Prémio de Fórmula 1. Conseguirá a marca, que dominou a modalidade logo no seu início, repetir a façanha em 2019?

"Desde 1910", lê-se no logótipo da Alfa Romeo Racing, a scuderia que neste ano ocupa o lugar da Sauber no Campeonato do Mundo de Fórmula 1, que arranca neste domingo na Austrália. A inscrição da data da fundação da marca (a 24 de junho) visa sublinhar como as corridas de automóveis se encontram no ADN da Alfa. E apesar de a sua presença na disciplina máxima do desporto motorizado ter sido muito irregular, com mais momentos baixos do que altos, a história demonstra bem como o construtor milanês tem um merecido pedigree na modalidade, que faz aumentar as expectativas para este regresso em 2019.

Foi com o Alfetta 159 que o mítico piloto argentino Juan Manuel Fangio se tornou pela primeira vez campeão do mundo de Fórmula 1. Isto em 1951, o segundo ano em que se realizou o campeonato. Fangio viria a vencer o título mais quatro vezes, ao volante de Mercedes (1954 e 55), Ferrari (1956) e Maserati (57), mas foi ao volante de um Alfa que o argentino "das pernas tortas", como era conhecido, iniciou o percurso que lhe valeria a alcunha O Mestre.

Já na perspetiva da Alfa Romeo, a vitória na Fórmula 1 não era novidade. No ano anterior, o primeiro Campeonato do Mundo da história foi dominado pelos Alfetta 158 de Fangio e de Giuseppe Farina, tendo o italiano saído vencedor no fim da época, com apenas mais três pontos do que o argentino.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG