Sporting-Benfica. O dérbi com maior diferença pontual de sempre na primeira volta

Nunca os dois rivais estiveram separados por 16 pontos antes de um jogo na primeira metade do campeonato. Em termos absolutos, esta é a terceira maior diferença entre leões e águias e sempre com os da Luz em vantagem.

O dérbi Sporting-Benfica é o jogo cabeça-de-cartaz da última jornada da primeira volta da I Liga. O Estádio José Alvalade será o palco deste dérbi de todas as emoções a partir das 21.15 desta sexta-feira. Além da eterna rivalidade entre os dois clubes, esta partida é de extrema importância para o que falta do campeonato, uma vez que os leões encontram-se numa situação bastante frágil, em quarto lugar, a 16 pontos do líder, precisamente os encarnados, que entram em campo com o objetivo de manterem o avanço de quatro pontos sobre o FC Porto, segundo classificado, vantagem que querem conservar até ao jogo do Dragão, marcado para 9 de fevereiro.

Este será, no entanto, um duelo algo atípico, pois frente a frente vão estar duas equipas que nunca estiveram separadas por tantos pontos antes de um dérbi disputado na primeira volta. Aliás, só por duas vezes se registou uma diferença superior a dez pontos antes de um jogo entre ambos os clubes na primeira metade do campeonato.

Ambas as partidas foram disputadas em Alvalade, em 2009-10 com um empate 0-0, numa altura em que os encarnados tinham onze pontos de avanço à 11.ª jornada. Em 2012-13, a diferença era de 15 pontos a favor das águias, também à 11.ª ronda, com o triunfo ao Benfica, por 3-1, graças a um hat trick do paraguaio Óscar Cardozo na segunda parte, já depois de Van Wolfswinkel ter aberto o marcador para os leões, então treinados pelo belga Franky Vercauteren.

Nos dérbis realizados em Alvalade, só em 1988-89 houve outro desnível tão grande em termos pontuais, mas foi já na segunda volta do campeonato, mais concretamente na penúltima jornada, tendo o Benfica entrado em campo com um avanço de 15 pontos, que foi aumentado para 17 (a vitória valia dois pontos) depois de um triunfo por 2-0, graças aos golos de Valdo e Abel Campos.

34 pontos, a maior diferença de sempre

Tendo em conta que o jogo de sexta-feira fecha a primeira metade da I Liga, há ainda um outro dérbi na viragem do campeonato com uma diferença marcante. Foi na primeira jornada da segunda volta da época 1966-67, quando o Sporting recebeu o Benfica com uma desvantagem de 13 pontos. Nessa altura, registou-se um empate 1-1, com Eusébio a abrir o marcador aos 14 minutos e Vítor Gonçalves a fazer a igualdade no início da segunda parte.

Houve, no entanto, dérbis que se disputaram com maiores diferenças do que os 16 pontos que se registam atualmente. A maior de todas foi antes do jogo da Luz, à 26.ª jornada da época 2012-13, quando os encarnados treinados por Jorge Jesus tinham 34 pontos de avanço sobre o Sporting de Jesualdo Ferreira e venceram por 2-0, com golos de Salvio e Lima, deixando o eterno rival então a impensáveis 37 pontos de distância.

Em 2009-10, também à 26.ª jornada da segunda volta, o Benfica recebeu o Sporting com 23 pontos de vantagem, tendo vencido por 2-0, com golos de Óscar Cardozo e Pablo Aimar, que lançaram a equipa então treinada por Jorge Jesus para o título, deixando os leões de Carlos Carvalhal a 26 pontos de distância.

Leões só com duas vantagens superiores a dez pontos

No cômputo geral, a vantagem que se regista atualmente é a terceira maior de sempre entre os dois rivais, sendo certo que nos 19 dérbis que se disputaram com uma diferença igual ou superior a dez pontos o Sporting apenas por duas vezes beneficiou de um avanço tão grande.

Em 1999-00, na penúltima jornada do campeonato, tinha onze pontos de vantagem, mas acabou por perder em Alvalade por 1-0, devido a um golo do egípcio Sabry, que adiou a festa do título leonino para a última jornada.

E em 2001-02, na antepenúltima ronda da Liga, também com uma diferença de 11 pontos, registou-se um empate 1-1 em Alvalade, o que não impediu os leões de festejaram o seu último título na ronda seguinte. Nessa partida, Jankauskas marcou para o Benfica, tendo Jardel igualado de penálti já perto do final da partida.

De resto, nas 17 vezes que os encarnados dispuseram de dez ou mais pontos de avanço antes do dérbi, conseguiram vencer oito vezes, empataram seis e perderam apenas em três ocasiões, duas delas em Alvalade (1958-59 por 2-1 e 2011-12 por 1-0) e outra na Luz (2002-03 por 2-1).

32 vitórias para cada lado nos dérbis de Alvalade

Refira-se ainda que nesta sexta-feira o Benfica entra em campo numa série positiva nos dérbis em Alvalade para o campeonato, uma vez que há sete jogos que não sabe o que é perder, contabilizando três vitórias e quatro empates. O último triunfo do Sporting foi já em 2011-12, por 1-0, graças a um golo de Van Wolfswinkel, de penálti, a 9 de abril de 2012.

Aliás, no histórico de dérbis em Alvalade para o campeonato regista-se um empate entre as duas equipas, uma vez que cada uma delas contabiliza 32 vitórias, tendo o Sporting apenas mais um golo marcado do que o Benfica: 124-123. Na prática, o jogo desta sexta-feira poderá desempatar este histórico.

Os leões estão, no entanto, numa série negativa nos jogos com o Benfica e o FC Porto para o campeonato, pois há 13 jogos que não vencem os rivais, pois o último triunfo foi com os dragões a 28 de agosto de 2016, por 2-1, em Alvalade, na terceira jornada da Liga 2016-17.

Novo recorde de pontos à vista

O Benfica pode conseguir em Alvalade um novo recorde de pontos após as primeiras 17 jornadas da I Liga portuguesa, atingindo os 48, o que acontecerá se vencer na sexta-feira no terreno do Sporting.

Desde que as vitórias passaram a valer três pontos, e não apenas dois, o que aconteceu em 1995-96, o FC Porto foi o clube que mais pontos somou em 17 jogos, com 47 em 1996-97 e 2010-11, em ambas as ocasiões com 15 vitórias e dois empates.

Em 2019-20, o Benfica já perdeu uma vez, na receção aos dragões (0-2), mas, de resto, só somou triunfos, num total de 15, pelo que, vencendo os leões, fixa um novo máximo, com 48 pontos, em 51 possíveis.

Mesmo perdendo, o conjunto comandado por Bruno Lage já assegurou um lugar no top 10 no que respeita a pontuações à 17.ª jornada, que só não significaram o fim da primeira volta entre 2006-07 e 2013-14, épocas em que o campeonato só tinha 16 equipas.

No caso de empatar, o Benfica iguala a sua maior pontuação de sempre, os 46 pontos de 2014-15, conseguidos na sexta e última época sob o comando de Jorge Jesus.

Em termos absolutos, o melhor registo da história é, praticamente, impossível de igualar, já que, em 1972-73, o Benfica, de Jimmy Hagan, venceu os primeiros 17 jogos - chegou a 23 triunfos -, então com o pleno de 34 pontos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG