Bernardo a jogar, Ronaldo a marcar. Goleada com vista ao apuramento

A seleção nacional bateu a Lituânia por 6-0 no Algarve e está a uma vitória do apuramento para o Euro 2020. Ronaldo fez um hat trick. Pizzi, Gonçalo Paciência e Bernardo Silva também picaram o ponto.

Portugal está a uma vitória de selar o apuramento para o Euro 2020. A goleada (6-0) desta quinta-feira, no Algarve, diante da Lituânia permite à seleção nacional chegar à última jornada do Grupo B no segundo lugar, com mais um ponto do que a Sérvia, que venceu em casa o Luxemburgo. A confirmação da qualificação fica adiada para domingo, dia em que a equipa das quinas joga no Luxemburgo e depende apenas de si para carimbar a sétima presença consecutiva em Europeus (desde 2000) e a 12.ª seguida em grandes provas internacionais, contando com Mundiais.

A partida com a Lituânia foi uma espécie de ressurreição para Cristiano Ronaldo, autor de um hat trick. que nos dois últimos jogos da Juventus foi substituído pelo treinador Maurizio Sarri e, inclusivamente, reagiu mal na última vez, deixando o estádio antes de o jogo com o AC Milan terminar e criando um caso no seio do clube. O técnico da Juve chegou a justificar que o fez porque o Ronaldo se queixava de um joelho. Mas diante da Lituânia, pelos vistos, as dores passaram. E já vão 98 golos pela seleção nacional!

Ronaldo já disse que se dependesse dele, nesta fase da carreira, com 34 anos, jogaria apenas na Champions e na seleção. E de facto os números na equipa das quinas não deixam dúvidas - só nesta fase de qualificação, contando com os três golos nesta quinta-feira à Lituânia, CR7 contabiliza dez. O bis frente aos lituanos permitiu ao capitão português reduzir a diferença para o iraniano Ali Daei, o melhor marcador de sempre por seleções, com 109. Ronaldo chegou aos 98 e está só a 11 golos do recordista.

Foi também um jogo onde se viu um Bernardo Silva ao seu melhor nível. Marcou um golo, assistiu e foi um quebra-cabeças constante para a medíocre seleção lituana, que se limitou a ver jogar, ver Portugal marcar e desperdiçar uma mão-cheia de oportunidades numa noite que podia ter sido histórica em termos de resultado.

Fernando Santos apostou num onze de ataque (um esquema tático próximo do 4x1x3x2), com várias novidades, a começar pela presença de Gonçalo Paciência no ataque. Um prémio merecido ao avançado que nesta época já tem nove golos marcados pelo Eintracht Frankfurt. Os laterais também mudaram relativamente ao último jogo, com Ricardo Pereira à direita e Mário Rui à esquerda. Rúben Neves atuou no meio-campo, no lugar que à partida parecia de Danilo. E Pizzi também mereceu uma oportunidade no onze.

Portugal instalou-se desde o primeiro minuto no meio-campo dos lituanos. E percebeu-se logo que a qualquer momento podia surgir um golo. Aos 5', Bernardo Silva (grande exibição!) teve um apontamento delicioso no lado direito do ataque, cruzou e Ronaldo cabeceou por cima. No minuto logo a seguir, CR7 foi derrubado na área e ele próprio se encarregou de marcar o penálti que abriu o marcador.

Depois foram oportunidades atrás de oportunidades. Umas vezes com o guarda-redes a negar o golo, outras com as bolas a bater nas pernas dos adversários. A Lituânia não tinha argumentos para travar as investidas dos endiabrados Bernardo Silva e Ronaldo, a velocidade de Ricardo Pereira no lado direito e para um meio-campo a ganhar quase todas as bolas. Na área, Gonçalo Paciência ia espalhando o pânico, mas quase sempre sem a melhor pontaria.

Pelo meio, aos 22', Ronaldo foi servido por Paciência, tirou as medidas à baliza e marcou um grande golo. De fora da área, de primeira e em arco. Um golaço! O seu 97.º pela seleção nacional. A primeira parte de sentido único terminou com uma estatística demolidora a favor de Portugal: 16 remates contra 1; 71% de posse de bola contra 29%!

A segunda parte começou como a primeira: domínio total de Portugal, com os jogadores a trocar a bola como queriam perante uma Lituânia completamente rendida. E sem reação. Pizzi, a passe de Bruno Fernandes, fez o terceiro golo aos 52'; Gonçalo Paciência estreou-se a marcar pela seleção aos 56'. E nos minutos a seguir Ronaldo teve mais duas ou três boas oportunidades para aumentar a vantagem.

Portugal não dava tréguas. E no espaço de três minutos fez mais dois golos. Primeiro por Bernardo Silva (63'), a surgir bem na área servido por Ricardo Pereira e a coroar uma grande exibição. E depois novamente por Ronaldo (65'), a fazer o seu terceiro no jogo e o 98.º ao serviço da seleção... a passe de Bernardo Silva. Tudo demasiado fácil, num jogo em que a seleção nacional não tirou o pé, perante um adversário que se limitava a ver jogar.

Aos 66', Bruma rendeu Bernardo Silva; aos 72' Moutinho entrou para o lugar de Bruno Fernandes, numa paragem que até serviu para um jovem adepto entrar no relvado para tirar uma selfie com Ronaldo. E ainda houve tempo para uma estreia, com Diogo Jota a saltar do banco aos 83' para render Ronaldo, no dia do seu batismo na seleção. Nesta altura já Portugal tinha tirado o pé, num dia em que o resultado foi volumoso mas podia ter sido histórico, tantas foram as oportunidades criadas.

A FIGURA: CRISTIANO RONALDO

Três golos, o segundo o mais vistoso, e uma grande exibição (tal como Bernardo Silva, que merece também esta distinção). Numa semana marcada pelo arrufo com o treinador da Juventus, o capitão da seleção nacional respondeu em campo com três golos... e nem sinal de que estava lesionado, como Sarri disse para justificar ter substituído CR7 em dois jogos consecutivos. Falhou mais umas quantas oportunidades e terminou o jogo com 13 remates à baliza (cinco enquadrados) e 83% de eficácia de passe. Ronaldo chegou aos 98 golos pela seleção nacional (será que chega aos 100 no domingo com o Luxemburgo) e está cada vez mais perto do recordista Ali Daei - faltam 11 golos.

VEJA AQUI OS GOLOS

FICHA DO JOGO

Jogo no Estádio Algarve, em Faro.

Portugal - Lituânia, 6-0.

Ao intervalo: 2-0.

Marcadores: 1-0, Cristiano Ronaldo, 07 minutos (grande penalidade); 2-0, Cristiano Ronaldo, 22; 3-0, Pizzi, 52; 4-0, Gonçalo Paciência, 56; 5-0, Bernardo Silva, 63 e 6-0, Cristiano Ronaldo, 65.

Portugal: Rui Patrício, Ricardo Pereira, José Fonte, Rúben Dias, Mário Rui, Rúben Neves, Pizzi, Bernardo Silva (Bruma, 66), Bruno Fernandes (João Moutinho, 72), Cristiano Ronaldo (Diogo Jota, 83) e Gonçalo Paciência.

Selecionador: Fernando Santos.

Lituânia: Setkus, Mikoliunas, Palionis, Girdvainis, Andriuskevicius, Simkus, Slivka, Kuklys (Deivydas Matulevicius, 57), Novikovas, Golubickas (Lasickas, 72) e Cernych (Kazlauskas, 81).

Selecionador: Valdas Urbonas.

Árbitro: Ruddy Buquet (França).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Palionis (27) e Mikoliunas (80).

Assistência: 18 534 espectadores.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG