Exclusivo Mercado de Arroios: os problemas que a requalificação não conseguiu resolver

As obras terminadas em 2017 melhoraram o edifício, mas não mudaram a dinâmica comercial. Rodeado de supermercados, o Mercado de Arroios sobrevive à custa da perseverança dos seus comerciantes.

A 28 de janeiro de 2017, a Câmara Municipal de Lisboa e a Junta de Freguesia de Arroios inauguraram, no âmbito do Plano Municipal dos Mercados de Lisboa (2016-2020), o "novo" Mercado de Arroios. Depois de dois anos em obras e um investimento de cerca de um milhão de euros, a requalificação prometia uma nova vida para o mercado. Contudo, a dinâmica do comércio tradicional estagnou muito antes desta intervenção.

Classificado na década de 1980 como edifício de interesse cultural, a sua remodelação previa a criação de um espaço para todos, adequado às exigências do presente. Pontos de venda requalificados, uma nova rede de águas, rampas para pessoas com mobilidade reduzida e novos elevadores foram algumas das intervenções realizadas, sem esquecer a substituição do pavimento e a pintura interior de que foi alvo. A abertura de novos estabelecimentos, com portas para o exterior e interior do mercado, foi uma das medidas para criar uma nova dinâmica comercial.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG