Premium Joacine e o Livre. E depois do adeus?

Consequência clara da rutura, deputada e partido perderam visibilidade. Joacine diz que o Parlamento não está preparado para deputados independentes. Livre vai mudar primárias.

Foi presença quase diária nas notícias durante meses, mas nas últimas semanas quase desapareceu do radar noticioso. Consumado o divórcio com o Livre, posto um ponto final nas querelas com a direção do partido, Joacine passou a deputada não inscrita. Perdeu direitos, tempo de intervenção no Parlamento, orçamento e visibilidade.
"Ironicamente, e apesar de hoje ter menos cobertura mediática, consigo trabalhar de forma mais célere e com resultados concretos", contrapõe a deputada, defendendo que o seu trabalho enquanto deputada do Livre foi "pouco conhecido devido ao ruído mediático" que se criou à sua volta, "também alimentado pelo partido".

Há uma mudança que simboliza a nova vida parlamentar de Joacine Katar Moreira, que no início de fevereiro passou da segunda fila para a quinta e última fila do hemiciclo. Também deixou de falar nos debates quinzenais com o primeiro-ministro. Condicionantes que Joacine não releva. "Sinceramente, não é por aí, ou por estar sentada onde estou, que está a diferença ou o problema. A intervenção no plenário é importante, mas é uma pequena parte do trabalho parlamentar. É aquela que dá mais visibilidade, mas é nas comissões e nos grupos de trabalho que se fazem os debates mais profundos e impactantes sobre aquilo que afeta as pessoas e as famílias".

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG