Premium Trump e os assessores de imprensa: o coelho da Páscoa, a "honesta" e a invisível

Kayleigh McEnany é a quarta assessora de imprensa do presidente e chega à Casa Branca já com bagagem: em fevereiro disse que a pandemia do coronavírus nunca ia chegar aos EUA e acusou o democrata Joe Biden de usar o vírus como desculpa para cancelar a sua campanha.

Como é trabalhar como assessor de imprensa da Casa Branca de Donald Trump? Tendo em conta que o presidente norte-americano tem um ódio especial contra os jornalistas e gosta de dizer o que pensa diretamente pelo Twitter, diríamos que é no mínimo complicado. E, tendo também em conta que Trump acaba de nomear a quarta pessoa para ocupar o cargo, diríamos que é um trabalho temporário.

O cargo foi ocupado pela primeira vez por George Akerson, entre 1929 e 1931, na presidência de Herbert Hoover. Tradicionalmente os assessores de imprensa reúnem-se diariamente com os jornalistas que fazem a cobertura da Casa Branca, informando-os das várias ações da administração e reagindo a acontecimentos em todo o mundo, servindo ainda de intermediários do presidente.

Ler mais