Premium "Eleições podem revelar um Brasil dividido entre PT e anti-PT"

Cientista político Alberto Carlos Almeida diz, em entrevista ao DN, que Fernando Haddad (do PT) irá à segunda volta. E que do outro lado estará ou Jair Bolsonaro (do PSL) ou Geraldo Alckmin (do PSDB).

Em novembro do ano passado, Alberto Carlos Almeida finalizou o livro O Voto do Brasileiro, que se seguiu aos seus dois anteriores best- sellers A Cabeça do Eleitor e A Cabeça do Brasileiro, com uma previsão para as eleições de 7 de outubro de 2018: apostava, mais uma vez, num duelo PSDB contra PT, ou seja, Geraldo Alckmin contra Fernando Haddad, na segunda volta.

Para sustentar isso, apresentava um estudo detalhado de todas as especificidades eleitorais do Brasil e a conclusão de que existem dois polos decisivos, a região Nordeste, pró-PT, e o estado de São Paulo, pró-PSDB, mais ou menos com o mesmo número de eleitores (56 milhões na primeira e 46 milhões no segundo).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.