Inédito. Champions só tem equipas das cinco maiores ligas da Europa

A eliminação do Shakhtar de Luís Castro diante da Atalanta fez que nos oitavos-de-final só estejam representantes dos campeonatos mais poderosos: Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha e França.

As cinco maiores ligas do futebol europeu - chamadas de Big 5 - dominam em absoluto esta edição da Liga dos Campeões. É que todas 16 equipas apuradas para os oitavos-de-final pertencem aos campeonatos de Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha e França.

À entrada para a jornada desta quarta-feira, apenas o Shakhtar Donetsk, treinado pelo português Luís Castro, e o Dínamo Zagreb tinham a possibilidade de se intrometer entre os países financeiramente mais poderosos, mas ambas as equipas perderam, tendo os ucranianos sido derrotados em casa pelos italianos da Atalanta, que assim seguiram em frente naquela que é a primeira participação do clube de Bérgamo na prova.

Este é um facto inédito na Liga dos Campeões, pois nunca estes cinco países dominaram em absoluto a fase a eliminar da prova mais importante da UEFA a nível de clubes. Se olharmos para as últimas dez temporadas, o mínimo de equipas fora das big 5 que garantiram o apuramento na fase de grupos tinham sido duas, registado na época passada com FC Porto e Ajax, em 2016-17 com Benfica e FC Porto e em 2010-11 com FC Copenhaga e Shakhtar. Desta vez, o cenário mudou radicalmente, fazendo aumentar ainda mais o fosso entre esses campeonatos mais poderosos e os outros.

Espanha e Inglaterra mantêm na fase a eliminar os quatro representantes com que arrancaram na Champions. A Alemanha perdeu um dos quatro emblemas, o Bayer Leverkusen, num grupo em que se apurou Juventus e Atlético de Madrid, enquanto a Itália fica com três equipas, pois viu o Inter Milão ser afastado num grupo em que ficaram atrás de Barcelona e Borussia Dortmund, dois emblemas das big 5.

Finalmente, a França também fica com dois dos seus três representantes, ficando pelo caminho o Lille, à custa de Valência e Chelsea, tendo sido uma das piores equipa desta fase de grupos, pois apenas somou um ponto, tal como os belgas do Gent. Ou seja, os oitavos-de-final serão assim uma espécie de minicampeonato entre equipas das big 5.
.

FC Porto é o que mais se intromete entre os grandes

Curiosamente, o FC Porto é o clube fora das melhores ligas europeias que, nas últimas dez temporadas, mais vezes conseguiu chegar aos oitavos-de-final da Champions, seguido de perto pelo Shakhtar, com quatro, e que nesta quarta-feira perdeu a oportunidade de igualar o clube português.

Logo a seguir surgem Benfica, Zenit e Basileia, com três apuramentos, enquanto o Galatasaray conseguiu em duas ocasiões, à frente de outros cinco emblemas que alcançaram a fase a eliminar por uma vez nos últimos dez anos: Ajax, Olympiacos, CSKA Moscovo, Besiktas, PSV Eindhoven, Dínamo Kiev, Gent, Celtic, APOEL Nicosia e FC Copenhaga.

O filtro tem apertado ainda mais quando se avança na prova, pois neste período apenas o Ajax conseguiu intrometer-se no poderio espanhol, inglês, alemão, francês e italiano, ao chegar na época passada às meias-finais, em que foi afastado pelo Tottenham. Um caso único desde 2004-05, época em que outra equipa holandesa, o PSV Eindhoven, também alcançou esse feito.

Já as equipas portuguesas foram as que mais vezes atingiram os quartos-de-final da Champions nas dez temporadas anteriores, totalizando quatro: duas pelo Benfica e outras tantas através do FC Porto. Estas são as únicas formações que conseguiram este feito por mais do que uma vez, tendo outras cinco chegado a esta fase da prova - Shakhtar, APOEL Nicósia, Galatasaray, Ajax (a única que conseguiu o apuramento para as meias-finais) e CSKA Moscovo.

Portugal logo a seguir às big 5

Aliás, os clubes portugueses são aqueles que passaram a fase de grupos com sucesso, num total de oito presenças nos oitavos-de-final nos últimos dez anos (já contando com esta temporada), segue-se a Ucrânia com cinco presenças (quatro do Shakhtar e uma do Dínamo Kiev), quatro da Rússia (três do Zenit e uma do CSKA Moscovo), três da Suíça (todas pelo Basileia) e da Turquia (duas do Galatasaray e uma do Besiktas), enquanto os clubes holandeses contam com duas presenças (Ajax e PSV). Sobram Grécia, Bélgica, Escócia, Chipre e Dinamarca com um representante cada um nas últimas dez temporadas.

Numa altura em que muito se fala da criação de uma Superliga europeia e em que o Real Madrid surge até muito empenhado na criação de uma liga mundial de clubes, a Liga dos Campeões mostra que o poder do dinheiro é cada vez mais fator diferenciador no que diz respeito à capacidade de os clubes chegarem a fases adiantadas da prova. Uma tendência que poderá até acentuar-se nos próximos anos, até porque os prémios da Champions são cada vez mais chorudos, além de as receitas dos direitos de transmissão televisiva nos cinco mais importantes campeonatos que se realizam na Europa serem incomparavelmente mais altas do que o estabelecido em outros campeonatos como o português, holandês, russo ou ucraniano.

Eis as equipas que se apuraram para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões, cujo sorteio se realiza segunda-feira:

POTE 1
Liverpool (Inglaterra)
Manchester City (Inglaterra)
Barcelona (Espanha)
Valência (Espanha)
Bayern Munique (Alemanha)
RB Leipzig (Alemanha)
Juventus (Itália)
Paris Saint-Germain (França)

POTE 2
Chelsea (Inglaterra)
Tottenham (Inglaterra)
Real Madrid (Espanha)
Atlético de Madrid (Espanha)
Borussia Dortmund (Alemanha)
Atalanta (Itália)
Nápoles (Itália)
Lyon (França)

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG