Premium O SNS a garantir o que é feito no privado? "No mínimo estamos a falar de cinco anos"

O Parlamento vota nesta terça-feira um dos temas mais polémicos da proposta para a nova Lei de Bases da Saúde: a relação que deve (ou não) ter o Estado com os setores privado e social. Alexandre Lourenço, presidente da Associação dos Administradores Hospitalares, diz que serão precisos cinco anos para o SNS garantir cuidados que privados prestam.

Para o Serviço Nacional de Saúde (SNS) conseguir absorver o recurso aos setores privado e social teria de garantir os exames feitos em laboratórios privados, reduzir os tempos de espera de consultas, de cirurgias, acabar com o modelo das unidades hospitalares geridas por parcerias público-privadas (PPP) e investir em profissionais e equipamentos. "No mínimo estamos a falar de cinco anos", aponta o presidente da Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares, Alexandre Lourenço.

O tema vai a votos nesta terça-feira no Parlamento no âmbito da discussão sobre a nova Lei de Bases da Saúde. Dois dias depois de o maior parceiro da geringonça, o Bloco de Esquerda, vir defender que está disponível para voltar a discutir esta lei de bases, mas sem as PPP, já que esta matéria deve ter legislação própria.

Ler mais

Exclusivos