Benfica com rasgos de Champions vence e segura Liga Europa

Encarnados bateram o Zenit na Luz por 3-0, com golos de Cervi, Pizzi e um autogolo de Azmoun, todos na segunda parte, e garantiram o terceiro lugar do grupo e a entrada na Liga Europa.

Está feito! O Benfica ficou sem Champions, mas garantiu nesta terça-feira o terceiro lugar do Grupo G e o consequente apuramento para a Liga Europa, ao vencer na Luz o Zenit, por 3-0, resultado que permitiu à equipa somar mais golos no confronto direto com os russos, que serviu de critério de desempate, pois as duas equipas terminaram com sete pontos. Valeu aos encarnados uma entrada demolidora na segunda parte, com um golo de Cervi logo a abrir, outro de Pizzi (de penálti) aos 58' e depois um autogolo de Azmoun.

O Benfica evitou assim mais um afastamento prematuro das provas europeias, que seria o terceiro em seis épocas, acabando por se apurar num grupo em que o terceiro e o quarto classificados terminaram com sete pontos, e em que foi necessário entrar nos critérios de desempate. Critérios que beneficiaram o Benfica. O Zenit, que chegou a sonhar com a continuidade na Champions mesmo com a derrota na Luz, acabou por ficar de fora das provas europeias, pois o O. Lyon, que esteve a perder em casa com Leipzig, conseguiu empatar (2-2) e manter-se em prova com o segundo lugar.

Mas vamos ao jogo. Bruno Lage desta vez não inventou e apostou precisamente no mesmo onze que na sexta-feira tinha goleado (4-1) o Boavista no Bessa, com uma exibição convincente, para o campeonato. A surpresa esteve no facto de Raúl de Tomás, o avançado que custou 20 milhões, ter ficado de fora da convocatória, tal como Florentino e Gedson.

O Benfica entrou bem no jogo, diante de um Zenit a atuar com três centrais e com um meio-campo formado por cinco jogadores. Aos 14', Grimaldo fez uma assistência, mas quando Vinícius se preparava para rematar em boa posição, um defesa do Zenit cortou o lance. Foi a primeira de três oportunidades seguidas dos encarnados - no minuto 16, Pizzi rematou com perigo ao lado e Chiquinho logo a seguir fez o mesmo.

As águias estiveram bem até aos 30 minutos. Mas depois houve um súbito adormecimento, com os jogadores estranhamente a perderem muitas bolas na transição para o ataque, que permitiam ao Zenit construir jogadas de ataque. E foi assim que a Luz gelou aos 37 minutos, com um remate de Azmoun que por sorte não levou a melhor direção.

O intervalo chegou com uma igualdade sem golos mas com boas notícias de outro lado - em Lyon, o Leipzig ganhava aos franceses por 2-0, um resultado que permitia ao Benfica apenas vencer e não ter de marcar dois ou mais golos para seguir para a Liga Europa.

A segunda parte não podia ter iniciado da melhor forma para o Benfica, que marcou logo aos 47' (veja aqui o golo). O lance começou em Gabriel, que cruzou para Vinícius, o brasileiro viu Pizzi em boa posição no lado direito, que serviu com conta e medida para Cervi abrir o marcador. O mais difícil estava feito.

Motivado, o Benfica com rasgos de equipa de Champions (coisa que foi rara nesta fase de grupos também muito por culpa de Bruno Lage, que por vezes geriu o plantel e deixou jogadores influentes no banco) não tirou o pé do acelerador. Encostou o Zenit à sua área e aos 57' viu Douglas Santos colocar a mão na bola dentro da área. O árbitro assinalou grande penalidade, Pizzi fez o 2-0 e o defesa do Zenit foi expulso (veja aqui o golo). A Liga Europa estava cada vez mais perto e o resultado (2-0) bastava sem ter ajudas de terceiros, neste caso do Leizpig, que nesta altura vencia por 1-2 em Lyon.

Em inferioridade numérica, o Zenit tardava em reagir, perante um Benfica que continuava a pressionar em busca do terceiro golo. E que esteve muito perto de acontecer aos 63', num lance de Cervi que o ex-portista Osorio cortou quase em cima da linha de golo. O jogo praticamente só dava Benfica. Aos 72' foi a vez de Vinícius desperdiçar mais uma oportunidade, com um remate às malhas laterais.

O Zenit quase não reagia e acabou castigado com o terceiro golo. Neste caso um autogolo de Azmoun (veja aqui o golo). Era o resultado ideal para o Benfica, que assim beneficiava de mais um golo e não tinha de esperar pelo que se passava no outro jogo entre o Lyon e o Leipzig, que entretanto estava empatado. Um resultado, contudo, que ao mesmo tempo era perigoso, pois se o Zenit marcasse, os encarnados voltavam a estar em vantagem no confronto direto com os russos. O Zenit não marcou, o árbitro apitou e o Benfica festejou.

O Benfica ficou sem Champions e terá de contentar-se agora com a Liga Europa. Mas na despedida embolsou mais 2,7 milhões pela vitória diante do Zenit e chegou a um bolo total de quase 50 milhões, a melhor receita de sempre na história do clube. Agora, na Liga Europa, os prémios são muito inferiores. Mas o Benfica irá lutar pelo prestígio.

A FIGURA: PIZZI

É de facto o motor deste Benfica e não se entende como em alguns jogos da fase de grupos Bruno Lage decidiu poupá-lo. Entrou em campo com a braçadeira de capitão e foi um dos jogadores mais influentes, sobretudo na segunda parte, fase em que o Benfica jogou melhor e vergou o Zenit. No lance do primeiro golo é dele a assistência (mais uma) para o golo de Cervi. E depois foi ele que marcou o penálti que resultou no segundo golo. Mais uma exibição para recordar do médio que cada vez mais é imprescindível nesta equipa.

FICHA DO JOGO

Jogo realizado no Estádio da Luz, em Lisboa.

Benfica-Zenit, 3-0.

Ao intervalo: 0-0.

Marcadores: 1-0, Cervi, 47 minutos; 2-0, Pizzi, 58 (grande penalidade) e 3-0, Azmoun, 79 (própria baliza).

Benfica: Vlachodimos, Tomás Tavares, Rúben Dias, Ferro, Grimaldo, Pizzi, Gabriel (Samaris, 81), Taarabt, Cervi (Seferovic, 81), Carlos Vinícius (Caio Lucas, 89) e Chiquinho.

Treinador: Bruno Lage.

Zenit: Kerzhakov, Osorio, Ivanovic, Douglas Santos, Karavaev, Erokhin (Sutormin, 65), Barrios, Ozdoev (Smolnikov, 60), Shatov (Mak, 89), Azmoun e Dzyuba.

Treinador: Sergei Semak.

Árbitro: Antonio Mateu Lahoz (Espanha).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Douglas Santos (17 e 56), Gabriel (19), Ozdoev (43), Erokhin (55). Cartão vermelho para Douglas Santos (56)

Assistência: 40 232 espectadores.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG