A semana chocante para a nação benfiquista

O aumento de casos de infeção por SARS-CoV-2 levou a task force liderada pelo vice-almirante Gouveia e Melo e o governo a avançar com a vacinação em massa. Resultado: filas enormes junto dos centros. Isto numa semana em que o presidente do Benfica foi detido e deixou os adeptos em choque.

Sábado

Casos de covid-19 a aumentar. Que liberdade vamos ter?

Após um sem-número de avisos de especialistas em saúde pública, de boletins da Direção-Geral da Saúde sobre os números da pandemia e de opiniões mais ou menos informadas sobre o assunto (dependendo de quem as ouviu) eis que o país começou a ficar chocado com o facto de se ter ultrapassado neste dia pela quarta vez consecutiva os 2 mil casos de infeção por SARS-CoV-2. Afinal, a quarta vaga era real. Resultado de semanas de "alegria": proibição de circular à noite em alguma regiões, restaurantes, e não só, obrigados a reduzir horários. Mesmo com a vacinação a aumentar ficam dúvidas sobre que liberdade vamos ter nos próximos meses.

Domingo

EUA festejam independência a sair "da escuridão"

Os Estados Unidos assinalaram o Dia da Independência (a 4 de julho de 1776 as 13 colónias declararam a separação formal do império britânico) com uma garantia presidencial: "Estamos a sair da escuridão de um ano de pandemia e isolamento." Joe Biden recordou as mais de 600 mil pessoas que já morreram no país devido à covid-19 e garantiu que os EUA estão "mais perto do que nunca" de declarar a sua independência do "vírus mortal". Neste dia festivo mereceu destaque ainda uma nota do inimigo governo da Venezuela: Nicolás Maduro felicitou os EUA e deixou o desejo de que "mais cedo ou mais tarde caiam as barreiras", que impedem o entendimento entre os dois países.

Segunda-feira

Medina recandidato diz estar focado no combate à pandemia

"Creches gratuitas" até ao final de 2025 foi a principal promessa de Fernando Medina na cerimónia onde confirmou o que todos esperavam: vai recandidatar-se à liderança da Câmara de Lisboa. O atual presidente, que há quatro anos perdeu a maioria na autarquia que o atual primeiro-ministro lhe tinha deixado, disse querer dar condições às "famílias jovens da classe média residentes" na capital. Conseguir rendas de casa mais acessíveis é outra das garantias para o eventual próximo mandato. Para já, diz, está focado no combate à pandemia e não se deixará "distrair" com qualquer campanha - como a de a autarquia ter fornecido dados pessoais de ativistas a embaixadas estrangeiras...

Terça-feira

Azeredo Lopes. A "omissão ética" e a responsabilidade política

Em outubro de 2018 Azeredo Lopes, então ministro da Defesa, demitiu-se na sequência do Caso Tancos sob a suspeita de que sabia do encobrimento da operação para a devolução de armas furtadas dos paióis de Tancos em junho de 2017. Em setembro de 2019 foi acusado pelo Ministério Público de quatro crimes: dois de denegação de justiça, prevaricação, abuso de poder e favorecimento pessoal praticado por funcionário. Agora o MP pediu a absolvição pois não há provas para o condenar, mas "apenas" uma "omissão do ponto de vista ético", pois deveria ter comunicado o que sabia à Procuradora-Geral da República. Resumo: criminalmente nada contra o ex-ministro, mas sempre se pode justificar a saída do governo, as críticas da oposição e a comissão parlamentar com uma "ética" omissa... É a responsabilidade política mais de dois anos depois?

Quarta-feira

Cartão vermelho e detenção para Luís Filipe Vieira

Foi um início de tarde de choque para os adeptos do Benfica: o presidente do clube estava a ser detido no âmbito da Operação Cartão Vermelho. Abuso de confiança, burla qualificada, falsificação, fraude fiscal e branqueamento de capitais. São estes os principais crimes de que Luís Filipe Vieira, o filho Tiago, o agente de futebol Bruno Macedo e o empresário José António dos Santos são suspeitos, de acordo com a investigação liderada pelo procurador Rosário Teixeira, terem prejudicado o Estado e várias entidades na sequência de negócios no valor de 100 milhões de euros. Uma das entidades prejudicadas terá sido o próprio clube.

Quinta-feira

Certificado e teste são passaporte para "vida normal"

Além das filas para os centros de vacinação há a grande probabilidade de começarmos a assistir a ajuntamentos - com distanciamento, claro - junto a farmácias. Ou então ao disparar da venda de autestes. É que a partir de agora para passar férias em estabelecimentos turísticos (como os hotéis) ou num alojamento local é preciso ter o certificado de vacinação ou teste negativo. Esta foi a grande novidade saída do Conselho de Ministros onde se confirmou que 60 concelhos do país vão estar nesta próxima semana em risco elevado ou muito elevado. Nestes locais há ainda a obrigatoriedade de os restaurantes exigirem o certificado de vacinação ou um teste negativo. Mas neste caso só ao jantar de sexta-feira, sábados, domingos e feriados. No resto da semana não é preciso. O vírus circula menos...

Sexta-feira

Rui Costa. O "maestro" que agora comanda a "orquestra" do Benfica

No final de uma semana atribulada para os lados da Luz e do Centro de Treinos no Seixal, a direção do Benfica - depois de Luís Filipe Vieira ter anunciado a suspensão dos cargos que ocupava - nomeou Rui Costa como presidente do clube e da SAD. Sobe assim ao palco principal o antigo futebolista e um dos símbolos do Benfica. Decisão que mais não foi do que cumprir o decidido após as eleições quando ao indicar os seis vice-presidentes Vieira já tinha apontado Rui Costa como seu sucessor em caso de impedimento de exercer funções ou ausências. É a tentativa da direção para tentar manter a normalidade possível na instituição.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG