"Somos um país pequeno, mas cheio de talento. Não só no futebol ." Félix da Costa campeão do mundo de Fórmula E

Piloto português garantiu o mais alto título automobilístico da história do desporto nacional.

O piloto português António Félix da Costa conquistou neste domingo o título mundial de pilotos no campeonato de Fórmula E, a mais alta categoria de automobilismo de viaturas 100% elétricas.

É a primeira vez que este título é conquistado para Portugal e trata-se do mais alto título de automobilismo alguma vez conquistado pelo desporto português.

Félix da Costa terminou as 37 voltas a apenas 497 milésimos de segundo do vencedor, rubricando ainda a volta mais rápida da corrida.

O suíço Sébastien Buemi (Nissan) foi terceiro classificado, a 1,392 segundos de Vergne, que conquistou o título nos dois anos anteriores.

O segundo lugar foi suficiente para o piloto de Cascais festejar o título de pilotos, quando faltam duas corridas para o final do campeonato, com a DS Techeetah a festejar também o triunfo no campeonato de equipas.

"Estou sem palavras. Só me vieram à ideia os momentos difíceis por que passei. Estive perto de desistir, mas continuei devido às pessoas que estavam comigo", frisou Félix da Costa, após a corrida.

Logo depois, num vídeo divulgado nas redes socais, Félix da Costa não escondia o contentamento.

"Yes. É nosso! É nosso! Não tenho palavras. Depois de tantos dias maus, trazer este título para Portugal é incrível. Obrigado aos que nunca deixaram de acreditar. Obrigado pelos votos no fanboost", começou por dizer. Félix da Costa destacou ainda os feitos dos portugueses que competem em várias modalidades desportivas no estrangeiro.

"Somos um país pequeno, mas cheio de talento. Não só no futebol, com o nosso Cristiano [Ronaldo], mas em muitos desportos. Andamos além-fronteiras a representar grandes marcas", disse, antes de dedicar o título hoje conquistado, o primeiro da carreira, ao país de origem: "Obrigado, é para Portugal", finalizou.

O português somou 19 pontos e chegou aos 156, que o deixam a salvo dos adversários nas duas corridas que faltam disputar, na capital alemã. Vergne soma 80 e o alemão Max Gunther (Nissan) tem 69.

No mundial de equipas, a DS Techeetah totaliza agora 236 pontos, contra 121 da Nissan. A próxima corrida, a penúltima, disputa-se na quarta-feira, em Berlim.

A conquista do título foi também assinalada pelo primeiro-ministro António Costa, numa curta mensagem no Twitter, onde felicita o piloto e declara ser este um "dia histórico e de orgulho para o desporto automóvel português".

O "formiga" que só falhou na Fórmula 1

A "prova rainha" dos desportos motorizados parece ter sido, durante algum tempo, uma sombra negra que pairou sobre António Félix da Costa, o mais talentoso dos pilotos portugueses em atividade.

Isto porque, em 2013, viu ser preterido pelo russo Daniil Kvyat na corrida por um lugar na Red Bull.

Agora, Félix da Costa mostrou todo o talento que se lhe reconhece há pelo menos 20 anos.

Foi aos 9 anos, que deu os primeiros passos na competição inspirado pelo irmão mais velho, Duarte, indiferentes ao peso do nome, da família Espírito Santo. Conquistou em 2002 o primeiro troféu e, até 2007, participou em algumas das mais importantes provas europeias da modalidade.

Dono de um forte sentido de responsabilidade, em 2008 deu o salto para a World Series by Renault, competindo neste troféu de monolugares.

O talento - e os desempenhos -- valeram-lhe o convite para testar um Force India de Fórmula 1, em 2010, tornando-se, aos 19 anos, o mais novo português de sempre a conduzir um destes monolugares. E em 2012, foi contratado para o programa de jovens pilotos da Red Bull, num ano que terminou da melhor forma, com a vitória no Grande Prémio de Macau de Fórmula 3.

Surgiu então a referida desilusão de 2013, que o levou para o Campeonato Alemão de Carros de Turismo (DTM), ao mesmo tempo que se manteve como piloto de reserva na Fórmula 1.

No ano seguinte, o arranque do campeonato de carros elétricos, a Fórmula E, levou-a a regressar aos monolugares. Conseguiu uma vitória logo no ano de estreia, mas só viria a repetir o feito na época passada, quando estava na BMW, tendo ainda lutou pelo título no início do campeonato.

Mas a confirmação chegaria, finalmente, ao sexto ano, interrompido durante cinco meses devido à pandemia de covid-19.

Nessa altura, com quatro provas disputadas, o piloto português contava já com uma vitória, em Marraquexe, antes de ter dado cartas no traçado do aeroporto de Tempelhof, em Berlim, onde venceu duas das corridas.

Um triunfo que vem confirmar o talento do 'formiga', como é conhecido entre os amigos desde os tempos dos karts, devido à baixa estatura que evidenciava na altura, no ano em que o campeonato teve mais construtores (12) e pilotos (24), alguns dos quais com passado na Fórmula 1, como Felipe Massa, Sebastien Buemi ou Jean-Éric Vergne.

Nesta categoria, o piloto português soma já cinco triunfos, em 63 corridas.

Lista dos vencedores do campeonato de Fórmula E

2014/15 - Nelson Piquet Jr. (Bra), Renault

2015/16 - Sébastien Buèmi (Sui), Renault

2016/17 - Lucas di Grassi (Bra), Audi

2017/18 - Jean-Éric Vergne (Fra), Renault

2018/19 - Jean-Éric Vergne (Fra), DS

2019/20 - António Félix da Costa (Por), DS

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG