Premium Bem-vindo a 2019

A campanha para as decisivas europeias de 2019 já começou e vários indicadores ilustram essa antecâmara. EUA, Turquia, França e Alemanha são alguns elementos definidores da política europeia nos próximos meses, mas não é só entre Estados que a dinâmica conflitual se está a jogar. Também ao nível partidário o momento é exigente e marcante. Afinal, também em política externa os partidos são preponderantes na saúde das democracias. Sobretudo quando muitas estão doentes.

A campanha para as decisivas eleições europeias de 2019 já começou e são vários os indicadores que ilustram essa antecâmara. EUA, Turquia, França e Alemanha são alguns dos elementos definidores da política europeia nos próximos meses, mas não é só entre Estados que a dinâmica conflitual se está a jogar. Também ao nível partidário o momento é exigente e marcante. Afinal de contas, também em política externa os partidos são preponderantes na saúde das democracias. Sobretudo quando muitas estão doentes.

Começou o ano político europeu de 2019. Parece cedo, mas neste início de setembro todos os caminhos vão dar às europeias de maio do ano que vem. Há, em quase tudo o que se decide e diz, um cálculo pré-eleitoral, mas o condimento não é só movido a tática política. Estamos a assistir a posicionamentos e equilíbrios europeus com um impacto profundo no futuro próximo das nossas democracias. O encadeamento de alguns factos permite perceber o desenho deste momento na Europa.

Ler mais

Exclusivos