Jovens agricultores ganham competências em novo projeto online

Iniciativa da Associação dos Jovens Agricultores de Portugal, que representa entre 10% e 15% do setor agrícola nacional, terá um investimento global de 500 mil euros, apoiado por fundos europeus.

Cátia Rocha
Firmino Cordeiro© Pedro Catarino /GI

A Associação dos Jovens Agricultores de Portugal (AJAP) está a desenvolver um novo projeto, o Laboratório Vivo da Agricultura 4.0, uma plataforma online onde os agricultores e empresários rurais poderão participar em ações de qualificação e aceder a informação. O grande objetivo desta iniciativa passa pela capacitação e pela promoção destes profissionais.

Esta iniciativa representa um investimento global de cerca de 500 mil euros, apoiado pelo programa Portugal 2020, no âmbito do COMPETE 2020 - Programa Operacional Competitividade e Internacionalização.

O projeto irá decorrer ao longo de dois anos, estando previsto um leque alargado de atividades de promoção. Firmino Cordeiro, diretor-geral da AJAP, explica ao DN/Dinheiro Vivo que está prevista a "participação em eventos-chave do setor, o desenvolvimento de programas e reportagens na TV, e sessões técnicas nas três regiões abrangidas (Norte, Centro e Alentejo)". O responsável reconhece a dificuldade de falar de calendarização em tempos de pandemia, mas que há que "estabelecer timings para as diferentes fases, mesmo podendo algumas atividades sofrer ajustamentos devido a esta crise pandémica".

Numa primeira fase será feito um estudo de diagnóstico sobre as necessidades de qualificação profissional dos jovens agricultores e empresários rurais. Firmino Cordeiro, diretor-geral da AJAP, explica também que este estudo "será desenvolvido recorrendo a técnicas de questionário e focus group, considerando associados, membros da AJAP e também outros operadores que serão convidados a participar". A associação, que representa entre 10% e 15% do setor agrícola nacional, antecipa "conseguir mapear os fatores críticos de sucesso dos jovens empresários que conseguiram ir além dos cinco anos iniciais do período de vida normal de instalação e, em particular, identificar que recursos e know-how lhes permitiram alcançar a viabilidade das suas explorações agrícolas".

Firmino Cordeiro nota que "a capacidade dos agricultores portugueses em incorporar a inovação é ainda baixa, dada a reduzida escala da atividade". "A maioria das organizações de produtores deveria estar a apostar em inovação, tecnologia e ferramentas digitais, mas mantém-se focada na guerra de preços com os canais de distribuição e na recolha de candidaturas anuais dos agricultores, quando seria necessário reinventar a cadeia de valor", explica.

Este projeto, que começou a ser desenhado em 2019, disponibilizará uma plataforma de acesso gratuito e acessível a quem pretender conteúdos especializados na requalificação. A plataforma será gerida pela AJAP e, numa segunda fase, Firmino Cordeiro acredita que "os conteúdos técnicos poderão crescer através de um ecossistema de parceiros institucionais (do setor público e privado) que poderão usar a plataforma como canal de comunicação, fazendo chegar informação e novidades sobre as melhores práticas ao setor e aos territórios rurais".

A associação vai também organizar road shows nas regiões Norte, Centro e Alentejo, estando ainda prevista a divulgação em eventos estratégicos, como a Agrobraga e a Ovibeja, e a produção de um programa de televisão, pensado para mostrar casos de sucesso e dar voz a estes profissionais.

Cátia Rocha é jornalista do Dinheiro Vivo