Premium Ucrânia e UE reforçam em Kiev a sua aproximação cinco anos após a revolução

Kiev acolhe nesta segunda-feira a 21.ª cimeira entre Ucrânia e a União Europeia. É a primeira em que o anfitrião é Volodymyr Zelensky, eleito em maio presidente da Ucrânia, e a última de Jean-Claude Juncker e de Donald Tusk.

Na estreia do presidente Volodymyr Zelensky como anfitrião de uma cimeira entre a Ucrânia e a União Europeia, a ideia é mostrar que, apesar da mudança à frente dos destinos de Kiev, a relação com Bruxelas não vai mudar e é para continuar a avançar, mais de cinco anos após a revolução que afastou os ucranianos da esfera de influência dos russos. A cimeira ocorre a dias das eleições legislativas antecipadas, convocadas por Zelensky.

A 21.ª cimeira Ucrânia-UE será também a última do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e do presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk. Até ao final do ano a nova liderança europeia terá tomado posse. "Vamos definitivamente sentir falta de Tusk a falar ucraniano e do delicado humor do presidente Juncker. Um caso em que um novo amigo não é melhor do que dois antigos", escreveu o ex-presidente ucraniano, Petro Porochenko, num artigo de opinião no EU Observer. "Eles são grandes amigos da nossa nação e os verdadeiros pais fundadores da nova relação entre Ucrânia e União Europeia, baseada na associação política e na integração económica", acrescentou.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG