Premium Quantos eurocéticos cabem no novo Parlamento Europeu?

Analistas ouvidos pelo DN calculam entre 20% e 25% o número de eleitos nacionalistas e de extrema-direita nas europeias de 2019. Aliança entre os liberais e o partido de Emmanuel Macron pode surpreender. Desfecho do Brexit pode ter um papel. E as fake news também. Em Portugal volta-se a 26 de maio.

O ano de 2019 será decisivo para a União Europeia. Vários acontecimentos importantes apontarão o rumo que esta construção poderá seguir no futuro: o da implosão ou o da revitalização. Vários líderes dos Estados membros chegam ao novo ano enfraquecidos: Angela Merkel, Emmanuel Macron, Theresa May, Pedro Sánchez e Charles Michel são apenas alguns exemplos.

Vários cargos europeus têm de ser renovados no novo ano (presidente da Comissão Europeia, do Conselho Europeu, do Banco Central Europeu, do Parlamento Europeu e alto-representante para a Política Externa e de Defesa da União Europeia). Isso levará a algumas disputas entre os vários governos e às já habituais manobras de bastidores. O Brexit, saída do Reino Unido da UE, está previsto para o dia 29 de março. Com acordo, sem acordo ou outro.

Ler mais

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG