Exclusivo Lorde britânico que inventou o Artigo 50.º nunca imaginou um Brexit

É graças ao Artigo 50.º do Tratado de Lisboa que um Estado membro pode pedir para sair da União Europeia. O seu autor, o lorde britânico John Kerr, antigo embaixador do Reino Unido na UE, diz que o criou a pensar na ascensão de ditadores e que, ironia das ironias, nunca imaginou que o seu país se tornasse o primeiro a fazer uso deste mecanismo.

O Brexit, previsto para 29 de março, ameaça fazer a União Europeia mergulhar numa nova e grave crise. A acontecer, porém, não será inédita e muitos diplomatas, políticos, académicos e jornalistas experimentados sabem disso melhor do que ninguém. John Kerr, lorde britânico, de 76 anos, é um desses diplomatas. Ex-embaixador do Reino Unido na UE, Kerr acompanhou, de perto, toda a crise da chamada Constituição europeia. Que após muitos altos e baixos desembocou no atual Tratado de Lisboa, o qual contém o famoso Artigo 50.º, que permite a um Estado membro pedir para sair da UE. Kerr é o seu autor. Só que quando o redigiu estava a pensar em ditadores. Não num Brexit.

"Não me sinto culpado por ter inventado este mecanismo. Sinto-me triste por ser o Reino Unido a usá-lo. Não pensei que o Reino Unido o usasse", admitiu o lorde, também presidente do think tank Centre for European Reform, numa entrevista que deu, em 2017, ao Politico.eu. Kerr, que foi secretário-geral da Convenção Europeia, cuja tarefa foi a de redigir o Tratado que estabelece uma Constituição para a Europa, admitiu que quando redigiu aquele artigo estava a pensar na eventual subida ao poder de ditadores em países europeus.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG