Premium Rafa Silva: os 16 milhões, o apagão e as razões para o despertar nesta época

Depois de duas temporadas em que não justificou o investimento feito pelo Benfica, o extremo é atualmente o melhor marcador da equipa e está a quatro golos de igualar o seu melhor registo numa época. Os seus ex-treinadores explicam as razões deste grande momento de forma.

Rafa Silva está a atravessar o melhor momento da sua carreira de futebolista profissional, começando agora a justificar os 16,4 milhões de euros que em 2016 o Benfica pagou ao Sp. Braga pela sua contratação, que lhe vale o estatuto de jogador com a transferência mais avultada de sempre entre clubes portugueses. Os oito golos que já leva em 19 partidas de águia ao peito fazem do extremo uma peça cada vez mais indispensável para o treinador Rui Vitória.

Henrique Nunes, treinador que lançou o extremo no futebol profissional em 2012-13, no Feirense, acredita que Rafa "foi prejudicado pela ascensão muito rápida que teve", algo que de acordo com o técnico pode explicar a demora na sua afirmação num clube como o Benfica. "Deixou muito cedo o Feirense para ir para o Sp. Braga, um clube já com uma exigência muito alta, e pelo meio foi ao Mundial do Brasil quando se calhar ainda não estava preparado para isso. Digamos que teve uma notoriedade extemporânea", começou por dizer o atual técnico do Recreio de Águeda, convicto de que o extremo "não teve a oportunidade de crescer continuadamente".

Veja aqui o vídeo com os melhores lances de Rafa nesta época.

Quem também tem acompanhado com satisfação a evolução de Rafa nesta época é Luís Trincalhetas, que treinou Rafa nas camadas jovens do Alverca. "Ele sempre foi um rapaz introvertido e talvez tenha tido dificuldades em se adaptar a uma nova realidade de um clube grande como é o Benfica, onde há sempre uma grande pressão sobre os jogadores", começou por dizer ao DN, mostrando-se convicto de que "o facto de ter agora mais minutos de forma consecutiva" justifica a melhoria no seu rendimento: "É agora um jogador mais confiante e isso reflete-se no rendimento."

Crescer sem precipitação

Para Henrique Nunes, a principal arma de Rafa Silva é "a anormal velocidade que tem com bola," que o torna "muito forte nos duelos individuais". "Só tinha de melhorar o último passe e a finalização", sublinha, considerando que se apresenta agora "muito melhor" nesses aspetos. "Está a jogar mais, tem mais confiança, mas sobretudo é agora um atleta mais maduro, estando numa fase de conclusão do seu processo natural de crescimento", diz, elogiando o trabalho que Rafa tem desenvolvido no Benfica: "Não houve precipitação em relação a Rafa, que foi trabalhando até se tornar mais jogador. Acredito que há aqui um trabalho específico com Rui Vitória para melhorar as suas debilidades. O potencial estava lá, só era preciso melhorar no trabalho diário e isso aconteceu", frisou.

Luís Trincalhetas, que foi jogador do Alverca ao lado de Rui Vitória, destaca que Rafa Silva "sempre foi muito bom nos desequilíbrios e frio na finalização". Mas acredita que o jogador do Benfica "ainda pode render mais se jogar em terrenos mais interiores, porque fica mais perto da baliza". "Se o meu amigo Rui Vitória encontrar um espaço no meio para o Rafa, acredito que irá ter um rendimento ainda melhor", sublinhou, destacando ainda que "o conhecimento entre jogador e treinador também pode explicar em grande medida a excelente temporada que Rafa está a fazer".

Num olhar para o passado, os dois técnicos elogiam as capacidades de Rafa Silva para desequilibrar através da sua velocidade. Henrique Nunes revela que no Feirense utilizava-o "preferencialmente nas duas alas" e ainda hoje considera que essa é a zona do terreno onde o extremo se sente mais confortável e onde pode render mais.

Um recorde de golos para bater

Opinião diferente tem Trincalhetas, que recorda a "enorme capacidade de finalização" nas equipas de formação do Alverca. "Quando fomos campeões regionais de iniciados, o Rafa era o número 10 de um meio-campo em losango, jogando atrás do ponta-de-lança. E é essa, na minha opinião, a posição onde ele joga melhor", assumiu, garantindo que se trata de um jogador que "tem tudo para ser um grande finalizador". "Até parecia desapaixonado em campo e quando aparecia em frente da baliza era extremamente frio", recordou, antes de garantir que o extremo do Benfica "vai bater o seu recorde de golos numa só época".

Veja aqui a entrevista de Rafa Silva quando assinou pelo Benfica.

Para já, Rafa Silva leva oito golos pelo Benfica quando a época ainda vai a meio, estando a apenas quatro remates certeiros de igualar o seu melhor registo, alcançado em 2015-16, em 50 jogos oficiais ao serviço do Sporting de Braga. Uma evolução bastante assinalável de um jogador que nas duas primeiras épocas de águia ao peito totalizou apenas cinco golos.

Os números de Rafa Silva no Benfica

2016-17
Jogos - 34
Minutos - 1836
Golos - 2

2017-18
Jogos - 25
Minutos - 1544
Golos - 3

2018-19
Jogos - 22
Minutos - 1342
Golos - 8

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Começar pelas portagens no centro nas cidades

É fácil falar a favor dos "pobres", difícil é mudar os nossos hábitos. Os cidadãos das grandes cidades têm na mão ferramentas simples para mudar este sistema, mas não as usam. Vejamos a seguinte conta: cada euro que um português coloca num transporte público vale por dois. Esse euro diminui o astronómico défice das empresas de transporte público. Esse mesmo euro fica em Portugal e não vai direto para a Arábia Saudita, Rússia ou outro produtor de petróleo - quase todos eles cleptodemocracias.