Portugal vai ter mais 65 hotéis em 2019

Regiões de Lisboa e Porto ficam com mais de metade das novas unidades hoteleiras. A maioria de quatro e cinco estrelas.

No próximo ano vão abrir portas mais 65 novos hotéis em Portugal. Os dados são da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), que estima que 23 destas novas infraestruturas sejam inauguradas na região metropolitana de Lisboa e 17 no norte. Estas duas zonas do país, a par do Algarve, são as que registam o maior número de dormidas de turistas.

"O ritmo de crescimento é basicamente o mesmo [dos últimos anos] e mantém-se a taxa de crescimento média anual que temos vindo a sinalizar há dez anos", refere Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP. Este número total de unidades hoteleiras que vão começar no próximo ano contará com algumas que, anteriormente, tinham previsto abrir ao longo de 2018 e que por motivos vários - como pode ser, por exemplo, um atraso nas obras - não arrancaram.

A reabilitação urbana em Lisboa e norte justifica, em grande parte, o grande número de novos hotéis previstos para estas regiões. "Lisboa é a que sinaliza sempre mais aberturas embora também o Porto e o norte. Há uma reabilitação urbana muito grande associada. Lisboa e Porto são [as áreas que] têm tido maior procura por parte de investidores. São regiões que têm um retorno de investimento interessante para a hotelaria. Tudo somado, entre maior procura, maior desempenho e melhor taxa de ocupação e também reabilitação urbana, levam a que sejam os destinos preferenciais para os novos hotéis."

Para se ter uma ideia, no ano passado, a hotelaria nacional recebeu quase 20,7 milhões de hóspedes, sendo que mais de seis milhões ficaram na área metropolitana de Lisboa e mais de quatro milhões na zona norte do país. Até setembro deste ano (últimos dados disponibilizados pelo INE), já ficaram mais de 16,5 milhões de pessoas na hotelaria nacional, que deverá bater um novo recorde de receitas turísticas de 17 mil milhões de euros.

Os novos hotéis que vão abrir em 2019 são sobretudo com tipologia de quatro e cinco estrelas e o setor vai continuar a piscar o olho ao mundo dos congressos. Este segmento de negócio tem sido uma forte aposta do turismo nacional, uma vez que ajuda a combater os efeitos da sazonalidade e, por conseguinte, permite aumentos nas receitas das unidades hoteleiras. Só no próximo ano, indicou recentemente o primeiro-ministro, António Costa, Portugal já tem garantido 130 congressos.

Cristina Siza Vieira explica que só na cidade de Lisboa deverão abrir portas cerca de duas dezenas de infraestruturas hoteleiras, tendo uma capacidade que ronda os 1660 quartos e na cidade do Porto devem ser inaugurados uma dezena de hotéis, o que se traduzirá em 960 quartos. "São hotéis de alguma dimensão, que têm também outro tipo de aptidão para o [segmento do] MICE", congressos e feiras internacionais.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

O Mourinho dos Mourinhos

"Neste país todos querem ser Camões mas ninguém quer ser zarolho", a frase é do Raul Solnado e vem a propósito do despedimento de José Mourinho. Durante os anos de glória todos queriam ser o Mourinho de qualquer coisa, numa busca rápida encontro o "Mourinho da dança", o "Mourinho da política", o "Mourinho da ciência" e até o "Mourinho do curling". Os líderes queriam ter a sua assertividade, os homens a sexyness grisalha e muitas mulheres queriam ter o Mourinho mesmo.