Premium Obama no Porto: duas horas e meia de "alto risco"

Secret services tiveram autorização especial para usar armas, drones vão vigiar todo o percurso e PSP mobilizou equipas treinadas por Israel para visita do ex-presidente dos EUA

A PSP destacou tudo o que tem de melhor, de equipas de elite a equipamento, para a operação de segurança que tem preparada para a deslocação ao Porto do ex-presidente norte-americano Barack Obama, que vem nesta sexta-feira participar na conferência Climate Change Leadership Porto Summit 2018, a realizar no Coliseu. De acordo com fonte que está envolvida neste planeamento, Obama estará apenas duas horas e meia na capital do Norte, mas serão 150 minutos classificados de alto risco.

A avaliação feita pelo departamento de informações da PSP classifica esta visita com um nível de risco "elevado", acompanhando a classificação também feita pelo Serviço de Informações de Segurança (SIS) que colocou a conferência num grau de ameaça "significativo" (o terceiro, numa escala de cinco). A sua intervenção está prevista para as 15.00 e deverá terminar às 16.00. Do Porto, Obama seguirá para Madrid, onde vai pernoitar.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.