Premium Julgamento de Weinstein marcado pelas prescrições

Harvey Weinstein foi um dos homens mais poderosos de Hollywood, agora enfrenta acusações que podem acabar numa pena de prisão perpétua. Dois anos depois, o Me Too continua a marcar a vida de boa parte dos protagonistas. Dos que lançaram a história e dos que caíram com ela.

Começa nesta segunda-feira em Nova Iorque aquele que promete ser um dos julgamentos mais mediáticos do ano. Harvey Weinstein, durante décadas um dos homens mais poderosos da indústria cinematográfica de Hollywood, enfrenta cinco acusações por violação e agressão sexual. Se for considerado culpado, poderá passar o resto da vida na prisão.

Apesar das dezenas de mulheres que, desde outubro de 2017 - quando rebentou o escândalo -, vieram acusar publicamente o produtor de assédio ou de agressão sexual, o julgamento contempla apenas a acusação de duas pessoas, dado que a maior parte dos crimes denunciados já prescreveu. Os crimes pelos quais Weinstein vai ser julgado terão sido cometidos contra Mimi Haleyi, antiga assistente do magnata, e uma segunda mulher cuja identidade é desconhecida. A primeira acusa Weinstein de ter praticado sexo oral não consentido, em 2006. A segunda acusação é de violação, em 2013.

Ler mais

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG