Eslovénia. A contínua invenção da roda

Mala de viagem (59). Um retrato muito pessoal da Eslovénia.

Numa campanha arqueológica, foi encontrada aquela que é considerada a roda mais antiga jamais vista (cerca de 5150 anos). A descoberta ocorreu em Liubliana, capital da Eslovénia. Isto dá a este país uma marca extraordinária do passado e, também, indutora de futuro. A par do comércio florescente devido ao trânsito de bens entre a Europa Central interior e o Adriático, a identidade turística da Eslovénia centra-se predominantemente na estância de Maribor, região que se reergueu das cinzas, após a investida nazi. Antes, Adolf Hitler posara na Ponte Velha, seguro que estava de conquistar a cidade. E assim foi. Porém, um país em cujo território se deteta a mais antiga roda seria capaz de ultrapassar dificuldades. Desde a salvaguarda da vinha mais antiga do mundo, com mais de 450 anos, à gratuitidade para todos do ensino superior, a Eslovénia progride a olhos vistos. Os meus observaram o início de uma notável renovação urbanística em Maribor. Em 2016, a autoridade municipal lançou o relatório "The opportunity for Maribor. Integrated sustainable urban development". Este é um dos documentos recentes mais importantes para especialistas em planeamento turístico. Maribor apresentou uma estratégia de desenvolvimento urbano integrado muito sólida, de que destaco a transformação da sua economia urbana numa economia circular e a acção continuada em que a cidade participa em parcerias para aprender e compartilhar experiências com outras cidades, países e instituições europeus. A estratégia urbana sustentável de Maribor baseia-se no conceito de estratégia urbana integrada que enfatiza a cidade no desenvolvimento social, cultural e económico da União Europeia. A Smart City Maribor Initiative (SCMI) foi lançada para estimular o desenvolvimento sustentável de um ambiente de cidade inteligente, promover a inovação na cidade de Maribor e desenvolver projetos-piloto que permitirão a prestação de atividades de cidade inteligente (no campo de serviços inteligentes, tecnologia e produtos). A iniciativa visou incrementar projetos avançados que melhorem a qualidade de vida em Maribor e numa região mais ampla e estimulem a inovação tecnológica, social e organizacional. Ao lançar a Smart City Initiative, Maribor juntou-se a outros ambientes urbanos avançados que reconheceram as vantagens da colaboração intensiva entre o município, instituições de pesquisa e indústrias para garantir padrões de vida de alta qualidade e desenvolvimento tecnológico. A formação da SCMI baseia-se numa parceria de "tripla hélice" e representa uma parceria regional entre o Município de Maribor, a Universidade de Maribor e outras instituições de desenvolvimento económico. A parceria foi formalizada com a assinatura de um Memorando de Entendimento. A Smart City Maribor Initiative procura enfrentar os desafios urbanos nas seguintes áreas de atividade: Competitividade & Investigação - promoção da inovação e criação de um centro regional de I&D; Saúde e qualidade de vida - novas tecnologias e serviços como resposta às mudanças demográficas na região; Ambiente - gestão de resíduos, água, qualidade do ar e áreas verdes, com especial enfoque em soluções orientadas para o utilizador e as mais recentes soluções TIC; Mobilidade - mobilidade multimodal sustentável baseada em combustíveis alternativos e soluções TIC; Energia - redução substancial do consumo de energia nas cidades, incluindo edifícios públicos, serviços de utilidade pública, transportes públicos e indústria com uma forte integração de soluções TIC; Governança inteligente - governança transparente, baseada em princípios de inovação aberta e soluções modernas de governança eletrónica de TIC; Educação & Criatividade - criação de um espaço aberto à criatividade e novas formas de educação a todos os níveis; Internacionalização da cidade e das partes interessadas SCMI através da cooperação com "clusters" Smart City na União Europeia e em todo o mundo. A sustentabilidade é a eterna prosperidade de todas as coisas, tal como a roda foi há mais de cinco milénios.

Jorge Mangorrinha, professor universitário e pós-doutorado em turismo, faz um ensaio de memória através de fragmentos de viagem realizadas por ar, mar e terra e por olhares, leituras e conversas, entre o sonho que se fez realidade e a realidade que se fez sonho. Viagens fascinantes que são descritas pelo único português que até à data colocou em palavras imaginativas o que sente por todos os países do mundo. Uma série para ler aqui, na edição digital do DN.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG