O regresso de McGregor, dois anos e muitas polémicas depois

Irlandês vai combater neste sábado contra o russo Khabib Nurmagomedov, atual campeão de pesos leves do UFC. E no lançamento da luta já houve ameaças de morte de parte a parte.

Las Vegas e os amantes do UFC estão em pulgas com o combate deste sábado na arena T-Mobile, que marca o regresso de Conor McGregor à modalidade de artes marciais. Para assinalar o comeback do ex-campeão de pesos leves e pesos pena, um adversário à altura: o russo Khabib Nurmagomedov, que está invicto, com 26 vitórias, e que nunca perdeu um round - além disso é o atual detentor do cinto que ficou sem dono depois de ter sido retirado a McGregor, referente à divisão de pesos leves (lightweight).

A loucura em torno do combate é tanta que a UFC, para promover a luta, lançou um vídeo nas redes sociais a recordar os maiores combates da história da modalidade, como que a prever que este pode vir a integrar este lote.

O lutador irlandês de 30 anos, que nos últimos anos se envolveu em várias polémicas, perdeu o cinturão de campeão de pesos leves em fevereiro, por inatividade. O facto de não ter feito qualquer combate desde que venceu Eddie Alvarez em novembro de 2016, levou a organização do UFC a retira-lhe o cinturão, que ficou na posse de Khabib Nurmagomedov, depois de o russo ter ganho uma luta ao norte-americano Tony Ferguson em abril.

Na altura, Dana White, presidente do UFC, deixou em aberto a possibilidade de o irlandês recuperar o título. "O Conor não está chateado, ele entende que o peso leve precisa de seguir em frente e os negócios também. Gostava que ele enfrentasse o vencedor do confronto Khabib-Ferguson. Mas ele já ganhou muito dinheiro e quer ficar algum tempo sem lutar, é normal, acredito que existe ainda a possibilidade de que nunca mais volte a lutar depois do que já ganhou", disse, numa previsão que afinal não se cumpriu.

Apesar de afastado do octógono, Conor McGregor nunca deixou de ser notícia. Logo à partida porque há um ano agendou um combate de exibição contra Floyd Mayweather (com as regras do boxe), que é conhecido pelo exibicionismo e por gastar dinheiro como ninguém, uma característica também de McGregor. Perdeu e pediu imediatamente uma desforra, algo que até agora ainda não aconteceu.

Na véspera deste combate que envolveu milhões, numa conferência de imprensa, não teve problemas em atacar com duras críticas a Showtime, a empresa organizadora do evento, insultando inclusivamente o seu presidente.

Zaragatas e problemas com a máfia irlandesa

Foi também em 2017, em novembro, que protagonizou uma enorme polémica, quando, para comemorar a vitória de um seu parceiro de treinos, invadiu o octógono Bellator 187 e foi festejar em cima do derrotado, apenas retirado do local por seguranças do evento de MMA. Foi também neste mês de novembro que se envolveu numa briga com um membro da máfia irlandesa, num pub de Dublin, ficando à mercê dos Kinahans, o cartel mais perigoso do país. Sem receios, chegou a gozar com a situação, colocando um vídeo nas redes sociais onde surgia a tremer.

Mas as polémicas de McGregor vêm de longe. Umas das mais conhecidas aconteceu quando no programa de TV americano Jimmy Kimmel Live foi questionado se venceria Sylvester Stallone do Rocky 3. "Estou a tentar lembrar-me quem era o Rocky 3. Era aquele do ginásio das celebridades? Não me consigo lembrar se era aquele dos macacos dançantes", atirou. O comentário gerou milhões de críticas nas redes sociais, pois o ginásio a que se referia era frequentado só por negros e foi encarado como uma declaração racista.

As conferências de imprensa pré-combates de McGregor eram sempre um alvoroço, com provocações aos rivais e várias vezes com os protagonistas quase a chegarem a vias de facto. Uma das mais célebres aconteceu em novembro de 2016, antes do combate com Eddi Alvarez. Num evento promocional, o irlandês roubou o cinturão ao rival e gerou-se logo ali uma enorme algazarra. Só não chegaram a vias de facto pela pronta intervenção dos organizadores.

Numa outra conhecida conferência de imprensa de promoção de um combate, também em 2016, McGregor e a sua equipa atiraram garrafas de água de de bebidas energéticas contra elementos da equipa do lutador Nate Díaz. E tudo por um motivo simples: o adversário recusou-se a esperar por McGregor, que chegou atrasado ao evento.

Já neste ano foi detido pela polícia nos Estados Unidos, devido a desacatos e agressões no parque de estacionamento do Barclays Centre, em Nova Iorque, depois de juntamente com mais seis pessoas ter atacado e partido os vidros de um autocarro de lutadores de UFC onde se encontrava... o rival deste sábado. Acabou por entregar-se à polícia de livre vontade, livrou-se da prisão, mas além de uma multa foi obrigado a cumprir serviço comunitário.

Conhecido por "The Notorious", Conor McGregor é o primeiro lutador profissional irlandês a garantir dois títulos mundiais em duas categorias diferentes ao mesmo tempo. Fez a sua estreia profissional no MMA em março de 2008 e combateu pela primeira vez no UFC em abril de 2013, ganhando desde logo a simpatia de Dana White: "Ganhou como se estivesse a fazer a sua centésima luta. Desde o minuto em que o gongo soou, ele estava tranquilo e relaxado, movendo-se. Mesmo após conseguir o nocaute, era como se ele tivesse feito aquilo centenas de vezes antes. O miúdo estava totalmente relaxado. Ele é uma fera. Estou impressionado."

Neste sábado, o irlandês excêntrico e provocador está de volta aos ringues. E na conferência de imprensa de promoção do combate esteve igual a si próprio, provocando Khabib Nurmagomedov. "Viste-me no autocarro [no ataque que o levou a ser detido] e fizeste o quê? Nada! Quando eu apareci, foste para o fundo do autocarro e não fizeste nada! Se alguém te agride, tens de ripostar. Porque é que não ripostaste? És um cobarde. Agradeço a Deus por não teres saído do autocarro se não estarias morto", atirou, lançando nova provocação ao rival, oferecendo-lhe um copo de whisky sabendo que o russo é muçulmano. "Nunca vou beber isso. Vou-te matar no octógono", respondeu Nurmagomedov.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG