Paddy Cosgrave: Surf Summit "vai aumentar qualidade", não o tamanho

Evento de aquecimento para a Web Summit reuniu 200 pessoas na Ericeira. Presidente da Câmara de Mafra quer evento por mais dez anos. A novidade é que poderá haver uma segunda edição em Sagres.

A Ericeira recebeu pela terceira vez a Surf Summit, o evento que antecede a Web Summit. Só que as ondas na praia da Foz do Lizando apenas estiveram próprias para verdadeiros profissionais, ao contrário do que aconteceu nos dois anos anteriores. Os 200 participantes decidiram participar em outras atividades, como o BTT e o standup paddling, com águas bem mais calmas. Esta é a fórmula da Surf Summit que Paddy Cosgrave quer manter para os próximos anos. Mas poderão existir ligeiras melhorias no formato. E Cosgrave admite mesmo a possibilidade de realizar uma segunda edição da prova em Sagres.

"No último ano fui para Sagres três vezes aprender a fazer surf. Pode ser uma desculpa para fazer lá uma segunda edição."

"Já tivemos dois anos espantosos e é ótimo estar de volta à Ericeira para mais uma edição da Surf Summit. Vamos planear algo muito especial para os próximos dez anos", afirmou o empreendedor irlandês num encontro com jornalistas na praia da Foz do Lizandro, Ericeira. "Queremos tornar isto em algo muito especial. Não queremos mexer na fórmula, com 200 participantes durante um fim de semana. Só vamos aumentar a qualidade das atividades", adiantou em conferência de imprensa, que também contou o presidente da Câmara de Mafra, Hélder Sousa Silva, e ainda os profissionais Joana Schenker e Tiago Saca Pires.

E quais as novidades que tem preparadas para o futuro? Paddy Cosgrave disse que, neste momento, está apenas "focado" nos próximos quatro dias, durante os quais vai realizar-se em Lisboa a maior cimeira tecnológica do mundo, mas deixou no ar a hipótese de promover uma segunda edição da Surf Summit no sul do país. "No último ano fui para Sagres três vezes aprender a fazer surf. Pode ser uma desculpa para fazer lá uma segunda edição."

E como a Web Summit vai ficar mais dez anos em Portugal, o mesmo poderá acontecer em relação à Surf Summit e à Ericeira. Pelo menos esta foi a resposta de Paddy Cosgrave ao autarca de Mafra. A permanência do evento poderá ajudar a Ericeira a reforçar a captação de "surfistas e de turistas", assim como de "investidores na área do surf, que têm vindo a instalar empresas ligadas às novas tecnologias na nossa zona". Desde a primeira edição da Surf Summit, em 2016, "têm vindo a instalar-se algumas empresas tecnológicas nesta região, promovendo o emprego e o desenvolvimento". Hélder Sousa Silva recordou ainda que a Ericeira é a "primeira reserva europeia de surf". Tendo isso em conta, "a limpeza das praias é uma das batalhas a travar nos próximos anos".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG